Rodrigo de Pádua nutriu uma obsessão doente pela apresentadora Ana Hickmann, da TV Record. A delegacia de Belo Horizonte, em Minas Gerais, acredita que o #Crime foi premeditado. Isso porque para ter dinheiro para se hospedar em um hotel de luxo de Belo Horizonte, Minas Gerais, Rodrigo vendeu alguns bens. Ele também teria comprado um revólver 38 com numeração raspada e balas novas. Com a arma, o atirador transformou Gustavo, cunhado da apresentadora, em refém. Mais tarde, acabou convencendo o empresário a levá-lo até o quarto onde a modelo estava hospedada.

Lá, ele desferiu xingamentos e tentou matar Ana duas vezes a apresentadora.

Publicidade
Publicidade

O crime teve contornos depois que a loira passou mal e desmaiou. A partir daí começou uma luta corporal entre Gustavo e Rodrigo. Disparos foram feitos e atingiram a assessora da apresentadora, alvejada na barriga e no braço. Ela passou por uma cirurgia de emergência e segue internada. Em seguida, o cunhado da comunicadora pegou a arma e deu três tiros no fã fora de si. Dois dos disparos pegaram na cabeça e o terceiro no braço.

 

Antes de ir atrás de sua muda, Rodrigo de Pádua vendeu diversos itens em um site especializado na internet. Os produtos ainda seguem online. Uma das vendas é referente à uma televisão de Plasma de 42 polegadas. A outro de um aparelho potente de som, contendo seis caixas de som. Cada um dos eletrodomésticos foram vendidos por R$ 950. Aos 30 anos e desempregado, Rodrigo disse para a família que estava se desfazendo dos bens para conhecer a capital mineira e ficar um tempo por lá atrás de oportunidades.

Publicidade

O irmão dele começou a desconfiar das atitudes do fã depois que ele parou de atender os telefonemas. A família disse que descobriu a fixação do atirador pela modelo há poucos dias. Segundo o irmão do criminoso, Rodrigo era uma pessoa de bem, preocupava-se demais com a família e cuidava bastante do corpo, sendo um rapaz extremamente pacato e praticamente não saindo de casa. A família está abaladíssima com o episódio e tem preferido o refúgio neste momento. #É Manchete!