Depois do caso da apresentadora Ana Hickmann, que fez o Brasil inteiro chorar quando ela contou sobre os momentos de pânico que viveu quando um homem entrou no hotel, em Belo Horizonte, disposto a matar a apresentadora, #Anitta também foi o “alvo” de um outro homem que se dizia “fã’ da cantora.

Anitta passou por um belo susto quando a sua casa foi invadida por um homem, na segunda-feira, 24 de maio. O “fã” fez um esquema de um agente 007 e conseguiu driblar toda a segurança se passando por um funcionário do condomínio. Ao contrário do caso de Ana Rickmann, o “fã” de Anitta não chegou xingando a cantora de nomes horríveis e nem ameaçando a jovem de morte, ele começou primeiro se declarando para ela e só depois começaram os xingamentos.

Publicidade
Publicidade

Ele dizia frases desconexas e foi isso que chamou a atenção da cantora, dos seus familiares e da vizinhança, porque poderia se tratar de um psicopata.

O invasor logo foi expulso do lugar onde estava pelos seguranças da casa, mas o homem não desistiu e tentou invadir o condomínio durante a madrugada e foi levado direto para a cadeia. "Foi uma situação que assustou toda a minha família e a mim também, mas graças a Deus tudo foi resolvido com o apoio da segurança do condomínio e da polícia", disse a Anitta.

Fica uma alerta para todo mundo, não só para quem é famoso

O caso que aconteceu com a Ana Hickmann e com a Anitta, pode acontecer com muitas pessoas e não somente para as pessoas que estão envolvidas no meio artístico, os internautas publicam a todo momento o que fazem da vida na internet e não tem consciência de quem está lendo e visualizando tudo, porque quase sempre, é público.

Publicidade

Uma “paixão platônica” poderá ser desenvolvida na internet por qualquer pessoa e até mesmo por um psicopata que poderá tirar a vida da pessoa que admirava.

O certo é tomar cuidado com tudo que é postado na internet e saber quem é a pessoa que sempre comenta e curte as sua publicações para não ter complicações mais tarde, como o que aconteceu com a apresentadora Ana Hickmann.  #Música #Crime