A edição 2016 do badalado evento de #Moda São Paulo Fashion Week mal acabou e já deu o que falar. Fora as tendências desfiladas nas passarelas, os #Famosos também viraram assunto pelos bastidores do evento.

Claro que a loira Geisy Arruda não passaria despercebida dos paparazzi, até porque Geisy apareceu no segundo dia do evento com um look um pouco diferente do que o público e fãs da moça estão acostumados. Com um visual comportado, Geisy posou elegante e surpreendeu a todos, parecendo mesmo ter a intenção de deixar os vestidos colados e curtos no passado: “Me envergonho de alguns looks que já usei”, desabafou.

Em 2009, a loira ficou conhecida em todo Brasil após ser hostilizada por estudantes da universidade Uniban, ao aparecer na aula com um vestido curtinho.

Publicidade
Publicidade

O vídeo de Geisy sendo vaiada e criticada viralizou na internet e, além de dar o que falar, trouxe uma fama instantânea para a moça, que desde então já fez ensaios para revistas masculinas, participações em programas de televisão e até uma ponta como atriz na extinta 'Escolinha do Gugu'. Desde então, ela coleciona algumas polêmicas e mantém-se na mídia.

Durante o Fashion Week, Geisy ainda contou que as roupas que usava eram menores do que seu manequim e que agora já aprendeu com os erros do seu guarda-roupa, inclusive deu adeus ao megahair e assumiu as madeixas naturais. Quanto aos antigos looks, Geisy fez questão de doar para uma igreja, mas as roupas de piriguete foram direto para o lixo. Pelo visto, Geisy não quer mais desfilar por aí como periguete de jeito nenhum, por isso ela aposta em maquiagens mais discretas e penteados chiques: “Coque é chique!”, brincou.

Publicidade

Relembre a história da musa do vestido rosa

Parece que foi ontem que Geisy assumiu seu lugar ao sol no mundo da fama, não é?! Mas a história da universitária começou sete anos atrás, quando ela foi expulsa após circular na faculdade com um 'micro' vestido. Na época, as opiniões sobre o fato dividiram-se: de um lado havia quem achasse que Geisy era vítima de descriminação, machismo e, do outro lado, afirmavam que o look da estudante era muito ousado para o ambiente educacional.

Toda confusão acabou na justiça, onde a Uniban se pronunciou alegando que a expulsão da aluna não se deu apenas pelo episódio do vestido curto, mas pelo #Comportamento tido como indevido que Geisy, supostamente, já vinha apresentando. Segundo a universidade, a aluna já havia sido comunicada sobre sua postura no local, que era considerada insinuante. Mas, após a repercussão do caso, a Uniban recuou na decisão e Geisy chegou a pedir R$ 1 milhão de indenização pelo constrangimento.