Dona de uma voz e personalidade que chamam a atenção desde sua estreia na TV, em 1969, a jornalista e apresentadora Marília Gabriela (68), aniversariante do dia, estreia nessa terça-feira, 31, no Canal Viva, uma nova versão do programa TV Mulher, que foi exibido de 1980 a 1986, pela Rede Globo, e que trata do mundo feminino no Brasil.

A estreia coincide com uma série de debates sobre a cultura do estupro. O tema ganhou destaque nacional, na última semana, depois que um vídeo divulgado no Facebook informava o estupro de uma jovem de 16 anos, no complexo de favelas São José Operário, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.  A história chocou o País pela crueldade e pela forma como foi disseminada nas redes.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o vídeo gravado, 33 homens abusaram sexualmente da jovem.

A investigação está sob o comando da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV). Neste momento, a delegada responsável, Cristiana Bento, investiga quantas pessoas realmente participaram do estupro. Sete pessoas foram identificadas, duas foram presas - o suposto namorado da vítima, Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 anos, e o dono do celular que teria gravado as imagens divulgadas rede, Raí de  Souza, de 22 anos.

Mulher em pauta

TV Mulher saiu do ar há exatos 30 anos. Naquela época, foi considerado o primeiro programa a falar sobre a mulher moderna. A atração matinal era apresentada por Gabi e pelo também jornalista Ney Gonçalves Dias. A nova edição promete falar de assuntos que não saíram de cena neste período.

Publicidade

No total, serão 10 episódios que contarão, assim como na primeira versão, com um time de especialistas no universo feminino: a escritora e atriz Fernanda Young, a jornalista econômica Flávia Oliveira, o escritor e jornalista Ivan Martins, a psicanalista Regina Navarro Lins, o estilista Ronaldo Fraga e a promotora de Justiça Gabriela Manssur, que abordará os direitos e deveres da mulher com temas como #Violência doméstica, assédio e aborto.

A nova versão do TV Mulher é uma produção do VIVA e da Cygnus Media e vai ao ar a partir desta terça-feira, às 22h30min.

Temer anuncia núcleo de combate à violência contra a mulher

Na manhã de hoje, o presidente interino Michel Temer, anunciou, em reunião com secretários de segurança pública dos estados, que será criado um núcleo de combate à violência contra a mulher. A medida foi tomada, após o presidente anunciar a extinção do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, em reforma ministerial apresentada no Diário Oficial da União, no último dia 12.

Publicidade

Em nota publicada na Agência Brasil, hoje (31), Temer ressalta a necessidade de unir esforços para a criação de medidas concretas contra o #Crime. "Há uma violência permanente contra a mulher em todos os estados. A violência é algo que deve ser banido e, para isso, num sistema federativo, importará certa e seguramente, em uma atuação conjunta da União Federal com os estados brasileiros e, até mesmo, no caso dos municípios que têm a chamada guarda municipal", disse. #Televisão