Na última quinta-feira (12), a OMS - Organização Mundial da Saúde recomendou, através da divulgação de um comunicado oficial, que as mulheres gestantes, tanto as estrangeiras quanto as brasileiras, evitem viajar para a cidade do Rio de Janeiro durante os Jogos Olímpicos Rio 2016, em agosto desse ano, por causa do zika vírus. No alerta emitido, a organização mundial confirma que a doença, cuja popularidade ainda é muito recente e se encontra em fase de estudos, é uma das principais causadoras da microcefalia (diminuição do tamanho do cérebro que causa deficiência física em bebês recém nascidos).

Vale lembrar que a transmissão do zika vírus, que foi descoberto na Uganda no ano de 1947, ocorre através da picada do mosquito aedes aegypti, que, apesar de estar atualmente em evidência no Brasil por causa dos diferentes casos confirmados de microcefalia em bebês recém nascidos, já se alastrou por vários países e não é fruto exclusivo da saúde nacional, que é tão precária.

Publicidade
Publicidade

Até então, acreditava-se que mosquito aedes aegypti transmitia apenas a dengue e a chikungunya. Os estudos mais recentes do zika vírus indicam que, mais grave do que a dengue e a chikungunya, a doença em questão causa contaminação através da saliva, do sangue e das relações sexuais. 

Também é importante ter em mente que o zika vírus raramente causa problemas de saúde ao seu portador, ou seja, o maior afetado, na hipótese de uma transmissão, é o bebê que nasce depois da mãe ter sido picada pelo mosquito aedes aegypti. Por causa disso, quem não é uma mulher gestante, não precisa se preocupar tanto com a sua viagem aos Jogos Olímpicos Rio 2016, pois caso hajam sintomas relativos ao zika vírus, eles são leves e passam em, no máximo, sete dias. Contudo, todas as pessoas em viagen ao Brasil devem se preocupar com a dengue e com a chikungunya, que podem causar a morte.

Publicidade

Para proteger os bebês que vão nascer, a organização recomenda ainda que essas mulheres gestantes façam o uso de preservativos, que a protegem da probabilidade de contaminação através do ato sexual, evitando assim que o zika vírus seja transferido ao próprio filho por consequência. #Futebol #Rio2016 #Organização Mundial de Saúde