De acordo com informações do jornalista Leo Dias do jornal carioca 'O Dia', o clima ficou pesado nos bastidores da TV Record no Rio de Janeiro. Duas jornalistas da emissora de Edir Macedo se estranharam por motivos pessoais no ambiente de trabalho. O clima pegou fogo e o "arranca rabo" continuou pelos corredores, com todo mundo olhando. Leo Dias não disse o nome das duas funcionárias do departamento de comunicação da rede de TV, mas explicou que elas até se machucaram. 

A discussão foi tão feia que se seguiu até uma estação de metrô próxima ao canal, em Triagem. No local, também existe um ramal de trem que leva para diversas regiões do estado, como o Centro e municípios da Baixada Fluminense.

Publicidade
Publicidade

A briga teria acontecido porque uma colega fez fofoca da outra, espalhando por lá que a outra teria um amante, que também trabalharia no local. A vítima da fofoca, que bateu na repórter continua contratada da casa mesmo após o vexame. A razão é que a ira da profissional da mídia acabou sendo vista com compreensão com seus chefes. A Record não nega, nem confirma informações do tipo.

Recentemente, segundo informações do jornalista Daniel Castro do 'Notícias da TV', dois profissionais do 'Jornal da Record' também só faltaram rolar pelo chão. O motivo da briga dos dois foi de cunho politico. Um seria contra o impeachment da presidente da república Dilma Rousseff e outro favorável. Eles acabaram sendo contidos por colegas e não sofreram nenhum tipo de punição da emissora, que para evitar polêmicas solicitou que todos seus repórteres e apresentadores evitem cores que lembrem a bandeira nacional, usada pelos que querem o impedimento, e vermelho, cor da bandeira do Partido dos Trabalhadores (PT), do socialismo e de diversos movimentos sociais. 

A expectativa é que com o afastamento da presidente Dilma os ânimos fiquem mais calmos.

Publicidade

A votação que traçará o futuro da petista no Senado já acontece nesta quarta-feira, 11, no Senado. Para Dilma ser afastada são necessários pelo menos 41 votos. Caso isso ocorra, o Congresso tem, no máximo, 180 dias para chamar uma nova votação, que dessa vez decide se há elementos para sua deposição.  #Famosos #É Manchete! #Rede Record