Agora chega a gota d'água para Miguel em #Velho Chico. O rapaz já pensou em sair de casa após defender a mãe em uma briga com Afrânio, mas agora ele vai cumprir a ameaça após mais uma discussão acalorada com o avô. Ao ouvir muitos desaforos, o jovem pega suas coisas e sai da fazenda sem dizer se pretende voltar! Confira toda a cena divulgada pelo Notícias da TV.

A discussão começa com mais uma alfinetada do coronel durante o jantar. "Estou ouvindo um bocado de queixas dos fornecedores. Todos preocupados com esse tempo todo que está levando pra alcançar esse padrão, num sabe?". Como Tereza não está à mesa para se defender, Miguel é quem responde: "Recuperar tantos anos de manejo equivocado não se resolve do dia para a noite".

Publicidade
Publicidade

Afrânio escuta a direta e logo tem outra alfinetada para o neto ao dizer que tudo fica pior quando seu "empregado" deixa de lado o trabalho na fazenda para conversar com "vagabundo no bar". A referência à Martim não abala o rapaz, que se defende ao responder que não está vendo nenhum um empregado do coronel ali na mesa: "Não quero lhe faltar com o respeito, apenas constato que, aqui na mesa, somos todos família. Não tem patrões nem empregados! Até porque, até onde eu saiba, ninguém ganha salário".

Sem conseguir atingir o neto, é Afrânio quem fica irritado e propõe tirar parte da herança de Miguel para lhe pagar salários. "Isso se você e sua mãe começarem a fazer o trabalho direito e pararem de virar as costas para mim para ficarem de prosa com vagabundo e retirante", conclui o Saruê.

Publicidade

À esta altura, Cícero já terá contado ao patrão que Tereza está conversando com Santo.

Antes de faltar de vez com o respeito pelo avô, Miguel se retira da mesa após desabafar que ficar de conversa com "vagabundo é trabalho de coronel". Afrânio começa a gritar com o neto, mas o jovem segue para o quarto sem dar ouvidos às novas provocações.

A decisão

Mais tarde, Miguel desabafa com Tereza e decide não trabalhar mais naquilo em que não acredita. Ele fica revoltado com tanta opressão que existe na fazenda e define o coronel como um retrógrado. Mas o que mãe e filho não sabem é que Afrânio decide ir ao encontro dos dois e acaba escutando a expressão "ranço na família" durante o desabafo do neto.

O coronel já entra no quarto perguntando o que Miguel quis dizer e o neto responde que todos os Saruês têm um 'ranço' que ele não quer herdar. Afrânio conclui que a revolta do jovem é influência de Martim e os dois retomam a briga que começaram no jantar.

Por fim, o filho de Encarnação conclui que prefere estar morto a ver o que Miguel quer fazer com o nome da família. "Fique calmo, meu avô, da maneira que as coisas estão, a família acaba no dia que o senhor se for", encerra o filho de Tereza, que reúne suas coisas e sai de casa sem olhar para trás. #Novelas #Conectados