Nesta semana, estará em todas as bancas do Brasil uma entrevista exclusiva com a apresentadora da TV Globo Ana Maria Braga. Na conversa que ela teve com a revista "Quem" para a segunda edição de junho, ela teria dito que sofreu abuso sexual e moral, episódios que causaram à loira muita dor e angústia. Na notícia, divulgada pelo site da revista, Ana não teria dado muitos detalhes sobre o fato, mas confessou que em um dos momentos desse abuso ela precisou correr e acabou caindo de uma escada, rolando e quebrou o braço. A apresentadora teria dito também sobre a questão da culpabilização da vítima, tema recorrente cada vez mais na mídia.

"É difícil quebrar a cadeira do machismo burro e absoluto", teria dito a apresentadora para a revista "Quem".

Publicidade
Publicidade

A publicação relata também que a conversa abordou sobre a violência e assédio que tem sido apresentado para o público brasileiro, vivido em todas classes e camadas sociais.

O último que veio à mídia foi o da adolescente de apenas 16 anos estuprada por mais de 30 homens. O caso ainda está sendo investigado e ganhou força após um dos criminosos divulgar o vídeo na internet dela sendo abusada por outras pessoas. Logo após, MC Biel foi denunciado por uma jornalista do Portal IG, pois teria chamado ela de "gostosinha" e dito que a "quebraria ao meio se tivesse chance". O cantor pediu desculpas por meio de seu canal do Youtube.

#Ana Maria Braga também teria dito para a revista que aprendeu com o tempo, e com outros casos de mulheres que foram abusadas sexual e moralmente.

"Meu passado é composta da escolha que faço todo dia na hora em que acordo", falou a comunicadora para a revista.

Publicidade

Como denunciar

Muitas pessoas são vítimas todos os dias de violência moral e sexual, um dos abusos frequentes nos ambientes mais diversos, como escola, trabalho e até em casa. Quando a vítima se cala abre espaço para que o criminoso possa repetir o ato com ela ou até outras pessoas. Por isso, é preciso denunciar, seja a violência psicológica ou física.

No trabalho, caso uma simples conversa com o chefe não resolva, o assédio moral pode ser denunciar no sindicato da categoria, no Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério Público, Justiça do Trabalho e Comissão de Direitos Humanos.

A violência sexual pode ser denunciada para Conselhos Tutelares e Delegacias da Mulher. #Famosos #Crime