A guerra inevitavelmente está a caminho! Assim como o sexto episódio, o sétimo prosseguiu sem grandes choques – sendo até um tanto quanto maçante – porém faz parte da atual proposta do seriado que está focando nos retornos e nas alianças.

Atenção! O conteúdo da matéria contém spoilers!

Quem ressurgiu neste capítulo foi Cão, que havia sido considerado morto. Ele adotou um estilo de vida simples, junto com camponeses guiados por um líder que lembra o Alto Pardal, contudo mais condescendente que o mesmo. Permeando suas conversas na temática absolvição e truculência, o que o fisga ao centro dos Stark e Arya que abdicou de Ninguém.

Publicidade
Publicidade

Ela rejeitou praticar agressão generalizada. Clegane está perdido por seu passado e a vontade de ter uma vida tranquila. Entretanto, tudo é atravancado por um ataque que aniquila todos os camponeses, restando somente Cão de Caça.

Margaery Tyrell, planejando acabar com a teocracia, proporciona espetáculo de disfarce e prova ter a inteligência necessária. Atuando agora como uma mulher beata, ela dribla inclusive o Alto Pardal, Olenna - por uns instantes até os fãs - mas uma mensagem revela toda a astúcia da donzela. O bilhete é enigmático, mas uma coisa é irrevogável: conservar-se leal à sua casa. Por outro lado, Cersei busca se ligar à Rainha dos Espinhos, que lhe vomita verdades, não apenas sobre o quão atrapalhada ela e sua família estão, mas quanto ela é culpada por tudo.

Jon Snow busca aliados para os confrontos vindouros, acompanhado por Davos e Sansa. Constituem duas alianças: com os Mormont e os Selvagens.

Publicidade

Quem julgou com descrença a liderança de uma jovem garotinha, anote: ela tem mãos de ferro e mais astúcia que inúmeros personagens. Os Glover, todavia, rejeitam uma união após a desilusão com Robb Stark. Jon se desanima com os números e Sansa escreve uma carta que, presumivelmente seja para que Mindinho a ajude.

Jaime Lannister cavalga com Bronn rumo a Correrrio. Os Frey são envergonhados por Peixe Negro e por Jaime que destroem seu projeto de bloqueio.

Asha enfim crê na dimensão do abalo emocional que seu irmão leva e lhe oferece um enorme consolo. Ficou explícito também o pretexto de sua partida: Daenerys Targaryen. Obviamente que a líder Dothraki ficaria mais inclinada a firmar aliança com uma mulher ousada como Asha que com Euron.

Quem não entendeu Arya Stark em “The Broken Man”? A jovem deveria estar aflita e se camuflando, no entanto ela estava feliz e despreocupada. Ela paga - muito bem - um marujo para levá-la a Westeros. Porém o que pareceria bom demais para ser verdade, dura pouquíssimo. Arya é abordada e agredida, previsivelmente, e coberta de sangue desaba no rio. Viva, porém seriamente ferida e alarmada – como carecia de estar desde sempre.

O aconteceu com ela para ter tamanha negligência? Seria o roteiro esquivando da personagem para tornar tudo oportuno? #Televisão #Seriados #Game of Thrones