O ator Edson Celulari, de 58 anos, afirmou, nesta segunda-feira (20), através de sua conta no Instagram, que foi diagnosticado com linfoma não-Hodgkin. Este tipo de câncer surge nos gânglios linfáticos (também conhecidos como linfonodos) e afeta o sistema de defesa do organismo. O ator declarou que foi um susto, mas sente-se encorajado e confiante ao lado de pessoas amadas.

Reynaldo Gianecchini, Dilma Roussef e o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, também enfrentaram este tipo de câncer.

O linfoma não-Hodgkin

Os linfomas originam-se nos gânglios e são muito importantes para combater as infecções. Há mais de vinte tipos diferentes destas neoplasias malignas, sendo que nos últimos 25 anos o número de casos praticamente duplicou.

Publicidade
Publicidade

 A incidência é maior em pessoas acima de sessenta anos.

Alguns fatores aumentam o risco para o desenvolvimento dessa #Doença. Pessoas expostas a altas doses de radiação e com o sistema imune afetado em decorrência do uso de drogas imunossupressoras, infecção por HIV ou doenças geneticamente hereditárias apresentam maior risco de desenvolver esses linfomas. A exposição a determinados agentes químicos, como solventes, fertilizantes e pesticidas também foram relacionadas a um aumento de probabilidade de desenvolver o linfoma.

Há vários exames que podem ser realizados para um diagnóstico preciso do tipo de linfoma Não-Hodgkin e determinar o tratamento adequado. Os principais sintomas são febre, coceira na pele, aumento nos gânglios do pescoço, virilha ou axilas, perda de peso e suor noturno excessivo.O tratamento consiste na realização de quimioterapia, radioterapia ou ambos.

Publicidade

Tem sido cada vez mais frequente a utilização da imunoterapia como complemento ao tratamento. Quando existem linfomas com maior probabilidade de invadir o sistema nervoso, é necessária a terapia preventiva com injeção de drogas quimioterápicas no líquido cerebral - espinhal e/ou radioterapia. Estudos científicos e clínicos ainda estão sendo realizados para comprovar a eficácia da imunoterapia no tratamento dos linfomas Não-Hodgkin. #Famosos #Hospital