Há oito anos estreava "A Favorita", mais precisamente em 02 de junho de 2008. Apesar de não ser um sucesso de audiência, muito em função de, no período, a Record ter em exibição um dos seus maiores fenômenos de público, a saga "Os Mutantes", o folhetim de João Emanuel Carneiro conquistou uma legião de adoradores, que até hoje tratam com carinho a história.

A produção veio após Carneiro emplacar como autor solo "Da Cor do Pecado" (2006), considerada um fenômeno das 19h, e "Cobras & Lagartos", que também não ficou devendo no quesito audiência. A questão é que bastaram os dois enredos para que o novelista conquistasse seu lugar no desejado horário das 21h.

Publicidade
Publicidade

No entanto, as duas atrações citadas são absolutamente diferentes de "A Favorita", pois apostam em humor. O folhetim que teve Claudia Raia e Patrícia Pillar como protagonistas era mais denso, repleto de mistérios.

A começar pelo fio condutor, uma novidade que era uma aposta arriscada: o público não foi apresentado com a devida cerimônia às personagens Donatela e Flora. A vilã ou a mocinha só foram definidas a partir do capítulo 50, quando aconteceu a grande virada da produção.

Até este momento, o público se viu dividido, especialmente porque Dona Irene (Glória Menezes) caiu no conto de Flora e passou a defender a ex-presidiária com unhas e dentes. Tanto que até Lara (Mariana Ximenes), que tinha pavor da mãe, ficou dividida. Claudia e Patrícia haviam sido instruídas a não darem pistas sobre quem era quem.

Publicidade

E o recurso deu certo, pois a trama conseguiu ampliar os índices ao longo de sua transmissão.

Quando a verdade veio à tona, também foi impossível não vibrar com Flora, mesmo ela sendo a malvada da dupla sertaneja Faísca e Espoleta. Assim como outros personagens ruins das #Novelas, Flora caiu nas graças dos telespectadores com cenas memoráveis, como a que culmina na morte de Gonçalo (Mauro Mendonça) ou o “sucesso de público” ao cantar “Beijinho Doce”, tendo que obrigar a plateia a aplaudi-la.

Da revelação em diante, Flora conseguiu reverter a situação a seu favor, e Donatela passou a ser procurada pela justiça. A mocinha valentona e briguenta acabou presa e sofrendo em meio às detentas, até que conseguiu fugir e, em liberdade, reuniu provas para limpar seu nome, reconquistar a família e colocar a inimiga de volta na cadeia.

Tantos acontecimentos no núcleo principal fizeram com que coadjuvantes nem tivessem vez, como é possível conferir no box com DVD’s de “A Favorita”, lançado após tantas solicitações dos fãs desse inesquecível trabalho das 21h. #Entretenimento #Televisão