Se você sofreu com o episódio “The Door”, de #Game of Thrones, e se desesperou com o destino de Hodor, fique ciente que a cena poderia ter sido muito pior e bárbara.

Aviso! A matéria contém spoiler do episódio supracitado da sexta temporada!

No dia 22 de maio, o quinto episódio da nova temporada foi ao ar, e ele trouxe para o público uma das passagens mais comoventes e bombástica da temporada, senão do seriado. As cenas finais foram reservadas para revelar a origem do personagem Hodor e a razão pela qual ele perdeu a capacidade de falar normalmente, além do desfecho do personagem, sua morte.

O diretor responsável pelo episódio, Jack Bender, afirmou que a princípio a ideia para a tomada era que ela fosse bem mais cruel do que realmente foi.

Publicidade
Publicidade

Como será que os fãs teriam recebido a versão mais trágica?

Em entrevista postada pelo site de entretenimento AdoroCinema, cedida ao Observer (via ComicBook), o diretor esclareceu como gostaria de ter desenvolvido o trecho: "A princípio, eu apresentei a ideia de rodar uma tomada que meramente vai se aproximando e mais perto e mais perto e, enfim, uma mudança de ângulo para perspectiva vista de cima que chega cada vez mais perto de Wylis – o verdadeiro nome de Hodor. Eu falei bastante com David Benioff e Dan B. Weiss [os criadores e produtores da série]. Eu expliquei, 'Os Caminhantes Brancos estariam arrancando as roupas de Hodor e, quando conseguissem passar pela porta, as criaturas começariam arrancando a pele dele. Os mortos iriam dilacerar Hodor.'"

Porém os produtores se dedicaram a convencer Jack Bender que o enfoque da cena deveria ser o sacrifício de Hodor, e não o horror que viria a partir dali, segundo eles, uma passagem tão brutal não deixaria o sentimento de saudade e este argumento convenceu o diretor.

Publicidade

Bender ainda queria que fosse sombrio, e que Hodor fosse sufocado, morto, retalhado, porém se absteve em montar uma cena em que a odiosidade do que aconteceria depois não transpassasse o sentimento de perda por aquele personagem. A ideia central passou a ser o que Hodor faria para proteger Bran, e ele faria qualquer coisa.

O diretor explicou ainda outros dilemas técnicos: "Foi aterrorizante de ler, e foi estimulante para Jonathan Freeman, o diretor responsável pela fotografia. Ele esteve desesperado em como clarear a gruta se não existia qualquer luz ou tochas. Não existia fendas, a menos no espaço onde determinados Caminhantes surgiram, pois eles não tinham como atravessar a linha de fogo."

Após o episódio “The Door”, Jack também comandou “Blood of My Blood”, mas não deu confirmação de estar na próxima temporada (7ª), revelando por fim que a mesma será encurtada e contará com sete episódios, afim de evitar que a história se torne maçante e arrastada. O fato dos próximos volumes dos livros de George R.

Publicidade

R. Martin – onde a série é baseada -  ainda não terem sido publicado e não haver previsão para tal, também colaborou para a decisão.

A sexta temporada de Game of Thrones continua em exibição pela HBO, com novos episódios aos domingos, às 22 horas. #Televisão #Seriados