Saiu nesta sexta-feira, dia 10 de junho, em Los Angeles, nos Estados Unidos, a sentença de julgamento do ator Michael Jace. Ele foi condenado pelo assassinato da esposa, April Jace, e pegou 40 anos de prisão.

Michael já tinha confessado o #Crime e disse não ter justificativas para o que fez e nem saber o que dizer além de pedir desculpas à família. Durante o julgamento foi lido um depoimento do filho do casal de 10 anos onde ele afirmava ter ouvido o pai dizer para a mãe, antes de deferir o segundo tiro, que já que ela gostava de correr, era para correr para o céu.

Crime ocorreu em 2014

O crime ocorreu no domicilio do casal em Los Angeles, em 2014, no mês de maio.

Publicidade
Publicidade

Na mesma época, Jace foi preso como o principal suspeito. Segundo a investigações, Michael matou a esposa com dois tiros após ela voltar para casa com os dois filhos depois de um treino de beisebol. Antes do crime, houve uma exaltada discussão. O casal estava junto há 9 anos. 

Para a promotoria, o crime foi premeditado pelo marido após a esposa pedir o divórcio, mas para a defesa não há provas que determinem tal fato.

Trabalhos famosos

Michael Jace ficou conhecido por trabalhar em filmes como Planetas dos Macacos, no ano de 2001, fazendo papel do Major Frank Santos.

Jace também atuou no papel de um Pantera Negra no celebrado Forrest Gump, dirigido por Robert Zemeckis. O longa estreou em 1994 e foi baseado no romance de Winston Groom, publicado em 1986.

Naquele #Filme, o premiado Tom Hanks faz o papel de Gump, um rapaz com um QI abaixo da média, mas que possui um jeito particular de encarar a vida, cheio de boas intenções e histórias para contar, em um verdadeiro passeio por parte da história norte-americana. 

O filme arrebatou seis Oscar: melhores efeitos especiais, diretor, ator, edição, roteiro adaptado e melhor filme do ano. 

Jace também participou destacadamente de 89 capítulos da série conhecida The Shield - Acima da Lei, durante os anos de 2002 e 2008, onde fez o papel de um cristão, detetive, que entra em conflito por causa da sua sexualidade.

Publicidade

#EUA