A decisão de Miguel em trabalhar com Santo não será bem recebida pelo coronel de #Velho Chico. E Afrânio chega a ser violento com o neto ao perceber que está sendo abandonado pela segunda vez. Tudo começa em um jantar conturbado na fazenda do Saruê. Cansado dos desmandos do avô, o doutor em agronomia decreta: "Não tenho espaço nesta fazenda ou na tua vida, meu avô. Não quero, nem nunca quis, o que o senhor vem sonhando para mim".

Como Miguel já estará trabalhando com Olívia em seu projeto de sintropia, o jovem decide que é o momento certo para romper de vez com o coronel. Mas, ao tentar se despedir, o filho de Tereza desperta de vez a ira do avô, que responde que o rapaz tem obrigações com a família.

Publicidade
Publicidade

Tentando manter a paciência, Miguel responde: "esta fazenda é tua, mas vida é minha! Sou grato por tudo o que o senhor fez - e faz - por mim, mas agora tenho que seguir meu caminho". Ao não aceitar a decisão do neto, o Saruê começa a gritar e a briga fica feia. "Olha aqui, seu ordinário! Você não vai a lugar algum!", ameaça Afrânio, completando que o rapaz vai amargar seus dias na fazenda até aprender a ser gente.

Miguel não aguenta mais as ordens do avô e exige que o coronel tire as mãos de cima dele. Sentindo-se afrontado, Afrânio lembra que o neto lhe deve obediência. Mas o filho de Santo responde aos gritos e faz com que o Saruê solte seu braço. Nesse momento, Carlos Eduardo, Tereza e Iolanda aparecem no cômodo, mas não conseguem acalmar os dois.

Com plateia, Afrânio declara que Miguel deve ficar em casa e, se sair, não terá mais volta.

Publicidade

Mas o neto simplesmente deixa todos para trás. O coronel segue o rapaz e tranca a porta da rua com a família dentro de casa. O Saruê grita para que o neto não se atreva a deixá-lo falando sozinho e, por sua vez, o jovem responde que é melhor o avô não se atrever a encostar um dedo nele.

Como última tentativa, Afrânio lembra que é o avô de Miguel e o jovem responde que isso não lhe faz se tornar seu dono. É então que o Saruê segura o neto pelo colarinho e suspende a mão para lhe dar uma bofetada, mas Martim chega e se coloca entre os dois. Mandando Miguel seguir seu caminho, o irmão de Tereza deixa claro para o pai que, enquanto ele estiver vivo, o coronel não levantará um dedo contra a família. #Novelas #Conectados