Quem assistiu ao jornal #SBT Rio na última quarta-feira (15) ficou surpreso com a reação da jornalista Isabele Benito ao enfrentar, ainda que respeitosamente, o Coronel Paulo César Lopes, que cuida da Polícia Militar do Rio de Janeiro. O vídeo da apresentadora se tornou viral após ela defender as ocupações escolares promovidas por alunos, professores e funcionários da rede pública. O tema tem sido bastante discutido na mídia, pois de um lado algumas pessoas defendem que os alunos devam estar no local, pois protestar é um direito. Do outro, há reclamações de depredações e também que as ocupações atrasariam o calendário escolar desenvolvido pelo Estado.

Publicidade
Publicidade

O debate ao vivo começou quando o coronel falou que "a cidade ficou paralisada pelos professores. A bagunça é total", disse, se referindo a mais um caso de ocupação.

Isabele não se conteve e bateu palmas para dar a sua opinião a respeito do assunto.

"Tem que ocupar. Tem que parar a cidade! Tem que ter futuro", reclamou com o oficial.

A repórter chegou a questionar se os filhos dele estão matriculados em escola pública. Ele disse que não. Ela justificou que nem os dela porque a educação é ruim.

Ao final, Isabele falou "mostra para gente que consegue botar filho em escola particular que o seu merece a mesma educação que o meu".

Veja abaixo o vídeo de Isabele Benito, que foi exibido ao vivo na emissora:

Entenda as ocupações

No final de 2015, no mês de setembro, professores, funcionários e alunos da rede estadual de São Paulo receberam uma notícia nem um pouco saborosa: o governo iria transferir 1 milhão de alunos de escolas para redistribuir a rede de ensino.

Publicidade

Isso causou revolta, pois foi considerada pelo sindicato e pelos próprios estudantes uma medida arbitrária e sem sentido.

A "reorganização das escolas", como foi chamado o projeto, não vingou, pois um movimento contra ganhou força e tomou não só o estado de São Paulo, como também Rio de Janeiro e muitos outros, se propagando nas capitais e interior do Brasil. Os alunos, em sua maioria, começaram a reivindicar melhorias de suas escolas e ocuparam os espaços até que medidas reais fossem tomadas. Muitos tiveram confrontos com a PM, e o assunto ganhou atenção da imprensa internacional. #Televisão #Protestos no Brasil