A cantora #Ivete Sangalo, aliada dos LGBT brasileiros, está sendo processada por um casal gay.  Caio da Rocha e Daniel Camargo ajuizaram uma ação contra a cantora (por meio de sua produtora, a Iessi Produções e Eventos) pelas agressões sofridas em um de seus shows, em junho. As informações são do site Bahia Notícias. O casal foi agredido no Centro de Tradições Nordestinas, em São Paulo, durante show de Ivete Sangalo no local. Ivete e o casal chegaram a conversar após as agressões, durante o programa Superpop, da Rede TV. Na ocasião, Ivete disse que não entende como esse tipo de violência pode acontecer. O casal agredido, e que agora transforma a cantora em ré, ainda recebeu elogios de Ivete pela coragem de fazer a denúncia. "Covarde é quem não reivindica, quem não fala", disse.

Publicidade
Publicidade

Ivete ainda convidou os dois rapazes a irem para um de seus shows e ficar ao lado dela, em cima do palco. “Vão curtir comigo e protegidos por mim, que vou estar na frente. Eu mesma vou proteger vocês”, garantiu.

Caio da Rocha ficou tão emocionado com a ligação que sequer conseguiu responder a cantora, chorando copiosamente. Mas parece que a emoção passou. Caio e seu namorado querem agora receber não apenas um convite para uma apresentação da artista, mas sim a quantia de R$ 1,5 milhão. O montante deve ser pago a título de ressarcimento por danos morais e materiais. 

Entenda o caso

Caio da Rocha e Daniel Camargo foram acusados por seguranças do Centro de Tradições Nordestinas de terem roubado uma blusa de um outro participante do show de Ivete Sangalo. Ao negarem o roubo, ambos foram agredidos pela equipe de segurança com socos e pontapés.

Publicidade

De acordo com os rapazes, durante a agressão os seguranças disseram que gay e ladrão "tinham de morrer". Ambos ficaram com vários hematomas pelo corpo, já que foram jogados no chão e até mesmo enforcados.

A decisão de processar a cantora não foi bem recebida pela comunidade de gays e lésbicas. No Facebook muitos defendem que o casal agredido deveria processar apenas o Centro de Tradições Nordestinas, e não a artista. #Homofobia