Finalmente, a Globo mostrou, nesta terça-feira (12), em "Liberdade, Liberdade" a tão esperada cena de sexo entre André (Caio Blat) e Tolentino (Ricardo Pereira). As redes sociais, como já era esperado, ficaram movimentadas, mas as opiniões estavam divididas, tendo quem comemorasse e também quem criticasse as imagens.

Em cena, um coronel chateado pelo fato de Ascensão (Zezé Polessa) ter fugido da cadeia e também cansado de ser constantemente humilhado por Rubião (Mateus Solano). Foi neste estado que Tolentino recebe André em seu quarto e, após alguns desabafos e também elogios, eles se aproximam e a paixão explode.

Esta foi a primeira cena de sexo entre dois homens mostrada em uma novela produzida no Brasil e teve até beijo na boca, além das muitas carícias.

Publicidade
Publicidade

"Liberdade, Liberdade" ficou no topo dos assuntos mais comentados do Twitter e os internautas postaram milhares e milhares de mensagens sobre a cena mostrada.

Quem aprovou a cena de sexo gay, aproveitou ainda para fazer algumas piadas com a "família tradicional brasileira".

Uma semana antes destas cenas de sexo entre dois homens serem mostradas em "Liberdade, Liberdade", já vinham sendo realizados vários protestos de grupos religiosos que também utilizaram a internet para divulgarem uma imagem avisando que, no dia 12, o demônio agiria através da Globo e que, quem fosse católico, não poderia ver tais imagens, porque, assim, estaria "servindo a dois senhores".

Publicidade

No Twitter, também foram muitas as postagens criticando as cenas de sexo entre André e Tolentino.

Na manhã desta quarta-feira, ainda são muitos os comentários a respeito das cenas que marcaram a história da TV brasileira.

Em 2015, a novela "Babilônia" trouxe para a TV o segundo beijo gay, já que o primeiro foi mostrado pelo SBT, mas com a liberdade que se vive, atualmente, tais cenas nem repercutiram tanto, mas as de "Liberdade, Liberdade" mostraram que a TV brasileira agora está mais madura e o público também.

Na época em que se passa a trama de "Liberdade, Liberdade", o amor entre dois homens era algo imoral, inconcebível para a sociedade. Hoje, apesar dos avanços, vemos que ainda há muito o que melhorar nesse sentido e, prova disso, são as críticas feitas às cenas.

Mas esse é um caminho sem volta e, daqui para frente, podemos esperar mais cenas como essas, de amor entre dois homens e também entre duas mulheres.

Publicidade

#Novelas #Rede Globo #Liberdade Liberdade