Os amantes do #Cinema tiveram, na última terça-feira, uma triste notícia. Respeitado dentro do meio artístico, o diretor de filmes Garry Marshall faleceu aos 81 anos. Segundo a sua assessora particular, ele estava em um hospital de Burbank, na Califórnia, após ter sofrido um acidente vascular cerebral, mas, durante esse período de internação, acabou contraindo uma pneumonia e não resistiu. Ainda não foi informado o local e o horário do enterro.

Nascido no Bronx, em Nova Iorque, Garry Marshall se formou em jornalismo na Universidade de Northwestern e até iniciou a sua vida profissional no jornal "New York Daily News". No entanto, logo decidiu ingressar no "Mundo da Sétima Arte" e, na década de 60, começou a trabalhar como roteirista.

Publicidade
Publicidade

Nos anos 70, foi responsável pelo surgimento de alguns sitcoms que alcançaram grande sucesso dentro do público norte-americano, dentre eles "Happy Days" e "The Old Couple".

Entre o final dos anos 80 o início dos 90, Garry Marshall resolveu produzir e dirigir as suas obras. Em "Uma Linda Mulher", comédia romântica, premiada com um Globo de Ouro e que narra um relacionamento entre uma prostituta e um rico empresário, tornou famosa a atriz Julia Roberts e trouxe Richard Gere de volta as telas. De acordo com os críticos, esse filme, uma das entradas mais bem sucedidas financeiramente (orçada, aproximadamente, em 464 milhões de dólares), é considerado o maior dentro do gênero.

Outra produção de destaque do diretor foi "O Diário de uma Princesa". Protagonizado por Anne Hathaway, que estreava no meio artístico.

Publicidade

A história também é uma comédia e narra as aventuras de uma jovem que descobre ser herdeira do trono fictício de Genovia, governado por sua avó, cujo papel foi interpretado pela experiente atriz e cantora Julie Andrews ("Noviça Rebelde"). Lançado no dia 03 de agosto de 2001, a obra alcançou a posição 3 na bilheteria norte-americana e ocasionou, em 2004, o lançamento de "O Diário da Princesa 2".

Em menos de uma semana, é a segunda perda de um nome renomado do cinema mundial. Na quarta passada, foi a vez de Hector Babenco, de 70 anos. Nascido na Argentina, mas radicado no Brasil, o diretor de "Pixote", "O beijo da Mulher Aranha", dentre outras grandes obras, morreu no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, vítima de insuficiência cárdio-respiratória. #Entretenimento #Famosos