Não é nenhuma novidade para quem assiste ou mesmo para quem apenas ouve falar a respeito da série “#Game of Thrones” que a HBO não poupou nudez e cenas de sexo ao longo dos seis anos em que a narrativa vem sendo exibida. Logo de cara, no episódio piloto, os irmãos gêmeos Lannister já chocam o telespectador com uma cena de incesto. Lê-se: tudo é possível em Westeros.

Grande parte do fogo - literalmente - de ‘As Crônicas de Gelo e Fogo’ tem vindo dos três #dragões de Daenerys Targaryen: Drogon, Rhaegal e Viserion. Mas afinal, como as três feras podem acasalar?

Não existem muitas informações precisas a respeito da reprodução ou do simples hábito de acasalar dos dragões.

Publicidade
Publicidade

Certos personagens de Game of Thrones chegaram a afirmar que os répteis gigantes são hermafroditas, porém outros defendem que eles possuem gênero definido. Em entrevista concedida à Vice Americana, Sarah Werning – bióloga especialista em evolução da Universidade Des Moines - esclareceu como e se as criaturas mitológicas fazem sexo.

Primeiramente, eles de fato possuem hábitos sexuais. Os répteis atuais são os mais semelhantes a estas criaturas e copulam para que seja possível a reprodução. O macho penetra a fêmea para tornar a fecundação dos ovos viável. Sendo assim, os dragões seguiriam a mesma lógica para procriação.

De acordo com a especialista evolutiva, a possibilidade de serem hermafroditas é bem remota, pois raros répteis nasceram nestas condições. Inclusive, um desses raros casos, é brasileiro e se trata da jararaca-ilhoa que habita a Ilha das Cobras, no litoral de São Paulo.

Publicidade

O que não foi descartado por Sarah foi a chance de haver sexo lésbico entre dragões fêmeas. Os três dragões de ‘As Crônicas de Gelo e Fogo’ são machos, contudo certas espécies podem mudar de sexo ou não ter gênero definido até determinada idade, e a mitologia classifica entre macho e fêmea apenas quando colocam ovos. Como todos os fãs da saga sabem, nos Sete Reinos e na mente do George R.R. Martin, tudo pode acontecer.

Segundo Sarah, alguns répteis não precisam necessariamente de fertilização para que seja formado um embrião, ou seja, são ‘partenogênicos’. “É como se uma virgem tivesse um filho. Algumas espécies não são autossuficientes na hora de desenvolver um embrião. Elas têm a necessidade de serem montadas, ainda que por outra fêmea. Após o ato, o ovário recebe a informação que está na hora de desenvolver embriões”, esclareceu a bióloga.

Posição Pombo

As grandes asas dos filhos da ‘Quebradora de Correntes’ trazem posições sexuais pouquíssimo ortodoxas para os humanos. Sarah afirma: “Um dragão pode voar sobre o outro, e é claro que isso abre diversas possibilidades acrobáticas aéreas”.

Publicidade

Órgão Sexual

Caso os três dragões da Khaleesi, Drogo, Rhaegal e Viserion sejam de fato do gênero masculino, eles podem ter – como crocodilos – um único pênis, ou dois hemipênis – como cobras e lagartos.

Nos répteis, o material que origina o órgão sexual vem do que desenvolve as patas traseiras - ou vestígio delas - sendo assim, resultam em dois pênis pequenos. #Seriados