A novela das 23h da #Rede Globo, "Liberdade, Liberdade", promete inovar o horário na emissora.  Vinícius Coimbra, diretor responsável pela novela, afirmou que ela não terá finais felizes, algo que ainda é comum na maioria dos folhetins globais.

Os personagens de Caio Blat e Ricardo Pereira, André e Tolentino, tiveram cena de sexo gay esta semana e deu o que falar. A sequência já entrou na história das #Novelas do Brasil. Com os holofotes que a trama ganhou, o diretor artístico não teve medo de falar sobre o futuro do folhetim e seu final. Ele pediu que os telespectadores não esperam um final tradicional, e sim algo realista, nada feliz para "adoçar" de uma forma tradicional.

Publicidade
Publicidade

De acordo com Coimbra, Mario foi muito corajoso em criar esse tipo de retrato do Brasil.

Após o relacionamento homossexual, André vai sofrer muito durante os próximos capítulos da novela. Quem garantiu foi o próprio Caio Blat, ator que dá vida ao personagem. O ator afirma que as cenas de seu personagem na prisão serão muito fortes e mostrarão com clareza como a perseguição aos homossexuais é algo medieval e inaceitável. Essas cenas também prometem fazer sucesso na internet.

O final da vilã Branca

O destino da vilã Branca, vivida pela atriz Nathalia Dill, já foi divulgado pela Rede Globo. "Liberdade, Liberdade" está entrando em sua fase final e últimas semanas, por isso alguns dos detalhes já estão se tornando públicos. Xavier irá desmascarar a vilã e descobrir tudo sobre a sua gravidez falsa.

Publicidade

A filha de Diogo Farto irá ficar desesperada e prometerá vingança.

Seu plano será matar Joaquina no dia em que ela for casar com Rubião. Mas seu plano não dará certo. Branca literalmente provará do seu próprio veneno e morrerá envenenada. 

A atual novela das 23h deve acabar no início de agosto de 2016. A novela tem roteiro de Mario Teixeira e direção artística de Vinícius Coimbra. Sua história é baseada no argumento de Marcia Prates e inspirada livremente em "Joaquina, Filha do Tiradentes", obra de Maria José de Queiroz. #Liberdade Liberdade