Um dos nomes mais lendários da televisão brasileira morreu neste domingo, 17. Eliakim Araújo deixa a vida, mas seu currículo televisivo para sempre será lembrado, especialmente pela longa trajetória na extinta Rede Manchete de Televisão. Tive a honra de mostrar um pouco desta carreira no documentário que dirigi sobre a emissora em 2013, o 'Aconteceu, Virou Manchete'. Mais abaixo na matéria colocaremos o player do vídeo com o filme. Eliakim tinha 75 anos e protagonizou grandes coberturas jornalísticas, como a primeira eleição após a ditadura, em 1989. Ele estava internado nos Estados Unidos tratando um câncer no pâncreas. O falecimento foi confirmado por amigos e familiares, que passaram esse fim de semana prestando homenagens ao jornalista. 

O repórter descobriu a doença há apenas um mês.

Publicidade
Publicidade

Ele teria passado por um tratamento de quimioterapia, antes de falecer. Ao todo, Eliakim teve mais de 50 anos prestados ao jornalismo. Ele decidiu ingressar na carreira de noticiarista, quando ainda cursava direito. Natural de Minas Gerais, ele trabalhou durante quase vinte anos na 'Rádio Jornal do Brasil'. Ao lado da esposa, a também jornalista Leila Cordeiro, Eliakim apresentou o 'Jornal da Globo' em 1983. O casal é o primeiro da história no Brasil a apresentar junto um telejornal. 

Mais tarde, William Bonner e Fátima Bernardes acabaram "ocupando" essa função nos corações dos telespectadores, o que jamais significa que o casal de jornalistas pioneiro foi esquecido, muito pelo contrário. Na Globo, o repórter que quase virou advogado ainda fez o 'Globo Repórter' e participou de coberturas importantes, como a eleição de Tancredo Neves.

Publicidade

O casal de repórteres ainda cumpriria a jornada televisiva juntos na TV Manchete, quando se transferiram em 1989 e, mais tarde para o SBT. 

Em 1997, os dois foram morar nos Estados Unidos para apresentar um telejornal no CBS Telenotícias, canal voltado ao público brasileiro em solo americano. O projeto acabou no ano 2000, mas eles decidiram continuar no país. Em 2011, a dupla retornou ao Brasil para lembrar um pouco dos velhos tempos da TV Manchete. Em uma festa comemorativa organizada pelo jornalista Luiz Santoro, os dois concordaram que a TV Manchete foi a emissora que mais os emocionou. 

Lembre um pouco da trajetória do apresentador assistindo ao documentário 'Aconteceu, virou Manchete':

  #É Manchete! #Morte