Um vídeo íntimo da Mendigata, do programa Pânico da Band, caiu na #Internet depois que a celular da artista foi roubado durante um assalto. Desde então as gravações e fotos de momentos íntimos da modelo Fernanda Lacerda, que dá vida à personagem, são amplamente compartilhados em vários sites, #WhatsApp e até mesmo em páginas eróticas na web.

O vídeo íntimo da Mendigata teria sido vazado após um suposto assalto. A própria artista afirmou ser ela nas imagens compartilhadas e garante que irá entrar na Justiça para punir os responsáveis. Ela garante ter sido vítima de invasão de privacidade.

De acordo com a celebridade, ela nem se lembrava mais da existência dessas imagens.

Publicidade
Publicidade

O caso foi revelado na própria página da artista no Instagram. O vídeo erótico da Mendigata teria sido feito especialmente para um ex-namorado, há muito tempo. O nome do rapaz não foi revelado.

Além do roubo do celular, Mendigata ainda foi vítima do crime de extorsão. Logo depois de ter o aparelho roubado, ela foi chantageada pelos criminosos para que os vídeos íntimos e fotos eróticas não fossem divulgados na internet, o que acabou acontecendo.

Uma assessora da artista afirmou que os marginais exigiram dinheiro e que ela teria ficado desesperada. Porém, depois de receber apoio de amigos e familiares, ela decidiu que não iria negociar com os bandidos.

A própria Mendigata falou sobre o vazamento dos vídeos íntimos e fotos eróticas na abertura do programa Pânico na Band. Durante a exibição, os apresentadores fizeram uma série e piadas sobre o caso, deixando a integrante ficou visivelmente constrangida.

Publicidade

Outro caso

Outro caso recente de vídeo íntimo vazado na internet foi o da atriz Carolina Dieckmann. O crime ganhou repercussão nacional e acabou tornando-se lei no Brasil. Ela foi sancionada no dia 2 de dezembro de 2012 e ampliou a punição para crimes relacionados à informática.

Segundo a lei, a invasão de dispositivo alheio para obter qualquer tipo de informações (como fotos e vídeos íntimos) é crime punível com até um ano de reclusão e multa.