Dona de um olhar sedutor e uma personalidade forte, Norma Jeane Mortenson, ou, Marilyn Monroe, foi – e ainda é – uma das mulheres mais conhecidas e amadas do mundo.

Em sua curta vida ela se tornou um sex symbol, um ícone de beleza, além de protagonizar escândalos e conquistas inimagináveis para uma garota pobre, que cresceu em lares adotivos.

Nascida em 1º de junho de 1926, Marilyn teria 90 anos em 2016. No entanto, ela faleceu em 5 de agosto de 1962, vítima de uma overdose de medicamentos que levanta suspeitas até hoje. Não há comprovações se a diva se suicidou, ou se morreu acidentalmente.

Uma vida difícil 

Filha de Gladys Pearl Monroe, Marilyn nunca conheceu o pai.

Publicidade
Publicidade

Aliás, a infância da estrela foi o que podemos chamar de “perturbadora”. Sua mãe estava mentalmente abalada, tinha outros dois filhos e, com isso, a pequena Norma foi levada para um lar adotivo logo após o nascimento.

Até cerca de seis anos, sua mãe a visitava constantemente, e então conseguiu juntar dinheiro e comprar uma casa para viver com os filhos. Porém, em 1934 Gladys foi hospitalizada com esquizofrenia, passando o resto da vida em hospitais psiquiátricos.

A partir disso, Marilyn “pulou de galho em galho”, tendo diversas famílias adotivas diferentes. Anos mais tarde, ela revelou que aos oito anos de idade foi abusada sexualmente em um desses lares.

Aos 16 anos, ela precisou tomar uma decisão difícil: ou se casava, ou voltaria para o orfanato. Ela preferiu se casar com o namorado James Dougherty, de 21 anos.

Publicidade

Mas revelou que não era feliz.

Em 1944, quando o marido foi servir à Marinha dos EUA, Marilyn Monroe foi morar com os sogros e acabou indo trabalhar em uma fábrica de suplementos para a Segunda Guerra Mundial. Foi aí que tudo começou a mudar.

Do anonimato para o mundo

Em um belo dia, o fotógrafo David Conover visitou a fábrica para registrar as mulheres americanas que estavam trabalhando para ajudar os EUA a vencer a guerra. Ele viu Norma e se encantou com sua beleza e então a chamou para modelar, por volta de 1945.

A jovem começou a ganhar prestígio. Depois de algumas fotos, ela mudou o visual, ficou loira e, ali nascia a imagem que conhecemos até hoje! Em 1946, a beleza e talento da jovem a colocou em Hollywood. Em 1947, ela ganhou uma ponta no filme Dangerous Years. Depois disso, ela estrelou mais de 25 filmes de sucesso, além de centenas de revistas do mundo inteiro.

Curiosidades sobre Marilyn Monroe

Apesar do nome artístico ter ficado conhecidíssimo, Marilyn chamais gostou dele.

Publicidade

Ela preferia ter utilizado Jean Monroe, pois era fã da atriz Jean Harlow. Aliás, um de seus sonhos era viver Harlow em um filme biográfico.

Marilyn também lutou pelo respeito profissional, já que a mídia sempre preferiu noticiar escândalos e sua vida pessoal. Apesar da maioria das notícias tratá-la como fútil, estima-se que o QI dela era de 168. Além disso, ela adorava ler. Sua biblioteca pessoal continha de 200 títulos.

Os livros que a diva gostava de ler eram sobre arte, filosofia, poesia e psicologia. Sua paixão pelos livros era tanta que ela fez um curso de literatura na Universidade de Los Angeles. Marilyn também escrevia, e seus trabalhos foram publicados em “Fragmentos:Poemas, Anotações Íntimas e Cartas de Marilyn Monroe”, lançado no Brasil em 2011.

Ela se casou três vezes e também foi alvo de notícias sobre casos amorosos, um dos mais #Famosos é o suposto romance com o presidente dos EUA, John F. Kennedy.

Ela nunca posou para a PlayBoy. Na verdade, ela posou nua para um fotógrafo, que depois vendeu o material para a revista.

Um dos maiores sonhos da atriz era ser mãe. Mas, infelizmente, ela sofria com endometriose. Algumas de suas biografias afirmam que ela sofreu ao menos 12 abortos na tentativa de engravidar.

Apesar de ter vivido em uma época em que pouco - ou quase nada - se falava em feminismo, Marilyn Monroe é também lembrada por ser uma das primeiras a lutar pela igualdade de gênero e pelo respeito às mulheres. 

#Curiosidades #É Manchete!