O viral Pokémon Go está criando as maiores e mais diversas polêmicas, tanto nas redes sociais quanto na TV. Nesta quinta-feira (4), o apresentador José Luiz Datena fez duras críticas ao game e aos seus usuários.

Durante o programa Brasil Urgente, na Band, Datena usou o termo 'Pokétrouxas' para definir os jogadores do aplicativo, que já se tornou febre entre adolescentes, jovens e adultos no mundo todo. E o comandante do programa diário foi além, dizendo que os gamers são pessoas desocupadas. Prevendo respostas não muito amistosas por parte daqueles que criticou, disse que ele é velho, mas não é um idiota como os que estão utilizando o Pokémon Go.

Publicidade
Publicidade

A mensagem de repúdio do jornalista incluiu também os idealizadores do aplicativo, chamados de 'imbecis' por criarem um jogo que, na visão do apresentador, permite que pessoas tenham seus celulares roubados por andarem pelas ruas sem atentarem para o fato de que estão com o foco desviado da segurança.

No game, os usuários tem de se deslocar por diferentes pontos em que se encontram para efetuarem as capturas das criaturas ficcionais virtuais, os pokémons, e colocá-los para disputarem lutas em ginásios.

A franquia japonesa de mídia, que pertence a The Pokémon Company, surgiu em meados da década de 90, mais precisamente em 1995, lançada por Satoshi Tajiri. Inicialmente era apenas um par de jogos específicos para o Game Boy, um console portátil desenvolvido pela Nintendo em 1989. Pokémon é a segunda franquia de mídia de jogos mais bem sucedida e lucrativa do mundo, atrás de Mario Bros, que também pertence à companhia Nintendo.

Publicidade

Perigos da vida real com Pokémon Go

A febre já é mundial, ainda que o game não esteja disponível para todo o planeta, e fez a Nintendo ter um acréscimo de 25% nos valores de suas ações. Pokémon Go ultrapassou o Facebook em popularidade, o Tinder em número de downloads e a pornografia em número de buscas na Web.

Apesar de ser um instrumento de entretenimento, deve ser utilizado de maneira moderada, evitando fazer dele um vício que pode trazer consequências trágicas e traumáticas. Listamos aqui alguns "perigos de verdade" que devem ser observados pelos gamers pokémons.

Lesões e machucados

Muitos jogadores estão relatando, nas redes sociais, acidentes em que se envolveram enquanto tentavam capturar seus pokémons, como torções nos pés por andarem sem a menor atenção nos obstáculos presentes nas vias, quedas em calçadas, buracos e trombadas em postes nas ruas.

Assaltos

Os pokémons, no aplicativo, ficam dispostos em localizações peculiares das cidades, especialmente as mais inóspitas, que acabam sendo um atrativo para a prática de roubos de tablets e smatphones.

Publicidade

Além disso, há o fato de o usuário ficar olhando para a tela do seu aparelho e, ao não notar a aproximação de um marginal, fica vulnerável ao ataque.

Demissões

Se o gamer se deixar levar pela viciante proposta de entretenimento do aplicativo, ele vai acabar caçando pokémons em seu local de trabalho e, assim, deixar de produzir, render o que se espera de sua ocupação profissional e, consequentemente, será dispensado pelo empregador.

Acidentes com o automóvel

O uso de celulares ao volante é o principal causador de acidentes de trânsito em todo o mundo. O game exige que seu usuário percorra longas distâncias com o olhar fixado na tela do aparelho, e muitos jogadores tem preferido usar seus carros para fazer as capturas dos pokémons, assim, causando acidentes que já andam sendo noticiados pelas emissoras de TV, principalmente no Japão e Estados Unidos.

Atente, jogue com moderação e não deixe que sua vida real e social se perca em meio à esta nova moda que invadiu o mundo. #brasil urgente #Televisão