Ricardo Costa, ex-músico do grupo "Polegar", passou por maus bocados recentemente. Ele foi ferido gravemente e quase morreu. Fotos da agressão polêmica foram divulgadas nas redes sociais. Neste domingo, 28, Ricardo deu sua versão dos fatos em uma longa entrevista exibida no 'Domingo Show', atração apresentada por Geraldo Luís, na TV Record. O ex-Polegar disse que quem o agrediu foi o cunhado, Carlos Magro. A ação aconteceu durante uma briga na cidade de Taubaté, em São Paulo.

Na atração exibida pela rede de TV de Edir Macedo, Costa mostrou os hematomas ainda visíveis no rosto, ainda resultado da irritação que o cunhado do ex-cantor acabou tendo.

Publicidade
Publicidade

O ex-Polegar disse que não tem rancor ou mágoa. Ele ainda negou que estivesse mentindo sobre a história ou atuando em torno da situação. "Eu quase morri", lamentou ele. Em seguida, Ricardo que não era nem para ele está ali falando naquele momento, dizendo que teve sorte de não estar mais enterrado.

O entrevistado de Geraldo Luís ainda disse que não tem qualquer mágoa do cunhado e que não entrará com um processo na justiça contra ele. O ex-profissional da música ainda disse que acredita que dessa forma será imensamente mais feliz. Segundo o músico, o ataque aconteceu pelas costas, quando ele estava trabalhando. O ex-cantor tem hoje um negócio de comidas, um "food truck". O motivo da briga, segundo Ricardo, foi um comentário que ele fez sobre o sobrinho do cunhado. Ele chegou a ficar internado por vários dias no Hospital Regional de Taubaté.

Publicidade

No momento da pancada, o ex-Polegar conseguiu furar a mão do seu agressor com uma face que usava durante o trabalho. Ricardo namora com Sindy há quatro anos. O casal tem um filho de um ano. Longe do sucesso da música feito entre 1989 e 1997, o cantor agora quer trilhar uma vida bastante tranquila. A entrevista dada ao 'Domingo Show' teve grande repercussão na internet. Para muitos internautas, o famoso não revelou tudo o que aconteceu.

"Essa história está muito estranha. Um simples comentário não geraria isso", disse uma telespectadora. #Crime #Investigação Criminal