O apresentador da Globo que está cobrindo as Olimpíadas Rio 2016, #Galvão Bueno, está sendo bastante criticado na internet por conta de sua postura "agressiva" ao tratar aos participantes dos Jogos. A última vez que Galvão tentou defender o Brasil acabou falando mal dos jogadores da seleção ao insinuar que Neymar e sua turma não estavam "animados" o suficiente para as #Olimpíadas. Desta vez, o jornalista e comentarista do canal da família Marinho deu as caras na Rede Bandeirantes, em entrevista para o programa 'Pânico na Band'. A conversa foi entre ele e o apresentador do programa, Vesgo.

Ao lado do humorista e repórter, Galvão decidiu confessar detalhes sobre as polêmicas que envolvem o seu nome.

Publicidade
Publicidade

Uma das mais recentes foi o "Cala a Boca, Galvão", que durante a Copa do Mundo gerou uma campanha na internet para tirá-lo da narração dos jogos. O comentarista também disse que Michael Phelps é ruim com a imprensa, pois "não dá entrevista", mesmo com tantos elogios e incentivos que os jornalistas dão para ele. Galvão também criticou a postura de "estrela" de Neymar, jogador da seleção brasileira.

Polêmicas

Sobre o "supercampeão" vindo de Santos, São Paulo, o comunicador jogou um balde de água fria em cima dos seus fãs. Ele disse que estava certo em criticar a postura pouco profissional dos jogadores e do próprio Neymar, que não cumpriu o protocolo olímpico após zero a zero que levou da seleção do Iraque na última semana. Ao invés de falar com a imprensa, os brasileiros abaixaram a cabeça e não deram entrevistas.

Publicidade

Vesgo tentou aprofundar ao máximo as polêmicas que envolvem Galvão Bueno. Uma delas foi o "cala a boca", gerado após um dos comentaristas da BBC britânica dizer que Galvão Bueno deveria "calar a boca". Isso trouxe a tona a campanha surgida na Copa do Mundo.

Quem disse isso não foi ninguém menos do que Adrian Moorhouse, nadador campeão dos 100 metros peito em Seul, no ano de 1988, que estava participando da transmissão da BBC. Como a internet não perdoa, caiu em cima de Galvão. #Rio2016