A perda de um parente próximo pode ser um dos traumas mais fortes que uma pessoa pode sofrer na vida. Um filho, então, representa, para muitos pais que passaram por isso, a morte de parte de sua essência. A autora de novelas da TV Globo, Glória Perez, viveu, há 24 anos, essa situação muito difícil. Sua filha, Daniella Perez, foi assassinada no dia 11 de agosto de 1992, com 22 golpes de tesoura, desferidas por Guilherme Pádua, também ator de novelas. A filha de Glória fazia par romântico com ele na novela "De Corpo e Alma". O crime aconteceu com a ajuda de Paula Nogueira, esposa de Guilherme e também condenada pelo crime.

Após todo esse tempo, a autora de novelas da TV Globo revelou que jamais esqueceu sua filha.

Publicidade
Publicidade

Ela fez uma postagem emocionante em suas redes sociais lembrando a data. Seus seguidores a consolaram e disseram mandar "energias positivas" para a escritora para que ela possa passar por mais esse dia com tranquilidade.

Na foto postada por Glória está escrito em um cartão "É menina!". Logo abaixo ela escreve:

"Mais um 11 de agosto. Para sempre é muito tempo, Dany", se referindo à filha que faleceu.

Em seguida, os seguidores da autora mandaram mensagens em respeito à morte.

"Eterna são as nossas lembranças, minha querida", postou uma delas.

"Força senhora Glória, que Deus ajude a senhora em mais esse dia #danyeterna", escreveu outro.

"Não há solidão que se compare a perda de um filho, minha cara. Desejo a você muita luz e tranquilidade neste caminho que se chama vida", falou outro.

"Realmente é um vazio que nada e nem ninguém preenche", concluiu mais um seguidor da autora.

Publicidade

Por onde anda o assassino?

O caso 'Daniella Perez', como ficou conhecido pela polícia, chocou os brasileiros. Como um verdadeiro enredo de novela da vida real, a filha da atriz foi brutalmente morta por seu companheiro e marido. O corpo da filha da escritora foi encontrado já sem vida em uma região de floresta na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro.

O assassino da jovem saiu da prisão no ano de 1993, após cumprir um terço da pena e conseguido livramento condicional. Após ser condenado e solto, ele entrou para a Igreja Batista da Lagoinha e hoje se diz "salvo" do pecado que cometeu.

Guilherme chegou a ser citado em um livro que fala sobre psicopatas chamado: 'Mentes Perigosas: o psicopata mora ao lado'. #Famosos #Televisão #Rede Globo