A minissérie "Justiça", que estreia na Globo nesta segunda-feira (22), traz quatro histórias completamente diferentes, mas que vão acabar sendo interligadas na mesma trama. Recife foi escolhida como cidade para servir de fundo para as histórias escritas por Manuela Dias, tendo José Luiz Villamarim na direção artística. Para cada dia da semana, teremos uma história diferente, menos na quarta-feira, quando a Globo prefere não mostrar suas minisséries.

O interessante de tantas histórias se interligando é que, na segunda-feira, poderemos ter uma protagonista que no dia seguinte já passa a ser uma coadjuvante e vice-versa, assim como poderemos ver um personagem com rápida aparição na quinta e já na sexta-feira voltar como um coadjuvante.

Publicidade
Publicidade

Apesar do nome "#Justiça", a minissérie não é para falar sobre questões jurídicas ou muito menos sobre lei, o foco da trama é debater sobre o que, de fato, é justo sob visões diferentes, seja no campo ético, como também no moral. Nos capítulos, os espectadores serão convidados a refletirem sobre vingança, perdão, arrependimento e outros temas que sempre causam polêmica.

Vale observar que, em cada história apresentada, teremos alguém cometendo um crime e, em seguida, sendo preso, onde ficará 7 anos recluso e depois, já em liberdade, precisará construir uma nova história para sua vida.

José Luiz Villamarin fez questão de explicar que a trama não pretende trazer discussões forenses, mas apenas provocar o público, fazer com que as pessoas reflitam sobre temas que podem ser vistos de ângulos diferentes.

Publicidade

Para Villamarin, justiça é uma questão bastante individual e cada um deve expor sua visão e procurar compreender os motivos do outro.

Entre os colaboradores para os textos temos Mariana Mesquita, Roberto Vitorino e também Lucas Paraizo, que deram suas importantes contribuições para tornar a minissérie ainda mais envolvente. Logo na primeira história já vamos nos deparar com quatro prisões, onde uma mãe vinga a morte de seu filho, um marido é levado a deixar que a própria esposa morra, teremos o racismo fazendo mais uma vítima fatal e, por fim, o sofrimento de uma mulher que foi parar na cadeia simplesmente porque defendeu o filho de um cachorro feroz. Cada um é condenado a 7 anos de prisão, mas não será a única coincidência entre os quatro personagens presos.

No elenco, nomes consagrados, entre eles: Cauã Reymond, Camila Márdila, Ângelo Antônio, Letícia Sabatella, Leandra Leal, Débora Bloch e muitos outros. #Televisão #Seriados