O imbróglio envolvendo o nome da modelo e atriz Luiza Brunet, de 54 anos, parece que está longe de ter um ponto final. O advogado da modelo entrou na #Justiça solicitando que a empresa responsável pelas redes sociais #Facebook e Instagram forneça a identidade das pessoas que  escreveram comentários considerados por ela como de ofensa a sua honra, na sua página do Instagram.

Os comentários terão ocorrido após Luiza ter feito acusações contra o empresário Lírio Parisotto, 62 anos, com quem era casada, onde afirmava ter sido agredida por ele, no seu apartamento, durante uma viagem que ambos fizeram aos Estados Unidos em maio passado.

Publicidade
Publicidade

A ação de responsabilidade civil foi protocolada por Pedro Egbert da Fonseca Neto, advogado que representa os interesses da modelo contra a empresa que administra as redes sociais já citadas. A ação entrou no dia 5 de agosto, apenas 2 meses depois do episódio em que a atriz e modelo denuncia o ex-marido Lírio de violência doméstica, ao agredi-la duas vezes, uma vez no Brasil e outra durante uma viagem aos Estados Unidos. Ele se tornou réu na capital paulista por lesão corporal contra Luiza após denúncia da mesma, sendo que ainda não foi julgado e goza de liberdade.

O processo no qual a empresa do Facebook configura como ré tramita na 21.ª Vara Cível e pode ser consultada no site do Tribunal de Justiça (TJ). As informações que são solicitadas no processo pela parte autora são os dados cadastrais, perfis, logins de quem criou as contas nas redes sociais (no caso o Instagram), que foi de onde saíram as ofensas à atriz e modelo.

Publicidade

O Facebook é proprietário do Instagram e por isso configura como réu no processo movido por Luiza Brunet.

A juíza que está responsável pelo caso é a magistrada Daniela Dejuste de Paula, que determinou que o Facebook disponibilize os dados cadastrais solicitados via justiça dos envolvidos com os comentários ofensivos à modelo na rede social, no máximo até o final desse mês de agosto. A reportagem do site de noticias G1 informou que procurou a assessoria do Facebook para esclarecimentos sobre o assunto em questão mas não obteve resposta; o caso segue na justiça. #Famosos