Sempre que escutamos o nome Phelps, já nos lembramos do nadador americano mais prestigiado de todos os tempos. Ele já conquistou 22 medalhas, sendo 18 de ouro, e provou ser um nadador merecedor de todo o sucesso que conquistou. Quem o vê praticando seu esporte favorito não imagina o que ele passou no ano de 2014.

O nadador deu uma entrevista exclusiva à revista norte-americana ‘ESPN’ e acabou desabafando que pensou em se suicidar diversas vezes depois que começou a pensar que sua vida teria chegado ao fundo do poço. Na mesma época, Phelps tinha sido detido por duas vezes em menos de 10 anos por dirigir embriagado, e também estava envolvido com drogas que estavam destruindo sua vida.

Publicidade
Publicidade

“Eu simplesmente estava vivendo como um trem desgovernado”, conta o nadador. “Eu estava me comportando como uma bomba relógio, que a qualquer momento poderia explodir. Minha autoestima não existia mais. Chegaram alguns momentos que tudo que eu desejava era não estar aqui. Tudo não era bom. Eu realmente estava perdido”.

Ele conta que seus pensamentos eram perturbadores, sobre si mesmo e também sobre a sua própria vida: “Chegou o fim, não quero mais viver... Quantas besteiras eu já fiz? Talvez o mundo seja melhor sem mim”. 

Dizendo que o mundo tinha perdido a graça, que ele não achava motivos para continuar vivo e por isso resolveu se isolar de tudo e de todos. Dificilmente fazia suas refeições e ficava até uma semana acordado. Seu pensando de suicídio nunca o abandonava e tinha se tornado algo obsessivo.

Publicidade

Foi então que uma pessoa muito especial surgiu em sua vida e decidiu ajudá-lo, Ray Lewis, um cristão dedicado e grande astro do futebol americano, que viu o sofrimento do nadador. Phelps conta que no dia em que ele estava se sentindo muito ruim, Lewis colocou a mão em seus ombros e disse: “Chegou o momento em que precisamos enfrentar essa batalha. É agora que o seu e o meu verdadeiro caráter vão ser apresentados. Você não pode e nem deve desistir. Se caso você fizer isso, todo mundo vai sair prejudicado”. O nadador conta que aquelas palavras tocaram o seu coração e tudo aquilo não saiu de sua cabeça.

Foi então que Lewis conseguiu convencê-lo a procurar ajuda em uma clinica de reabilitação chamada Meadows. Phelps ficou em dúvida, mas resolveu seguir o conselho do grande amigo que estava ao seu lado, e acabou decidindo se internar na clínica sugerida por ele.

No momento da internação, Lewis presenteou o atleta com um livro chamado “Uma vida com propósitos”, do escritor Rick Warren. Ele conta que logo depois começou a ler o livro e que ele foi um de seus grandes apoios para superar aquela fase tão complicada que ele estava vivendo.

Publicidade

O livro fez com que ele voltasse a acreditar em si mesmo, e mostrou que tudo na vida tem um propósito.

Phelps conta que o livro conseguiu transformar os seus pensamentos e algumas vitórias começaram a acontecer em sua vida. Ele voltou a se relacionar com o seu pai, que se separou de sua mãe quando o nadador tinha apenas 9 anos, e depois de três meses ele tomou coragem e pediu a sua namorada em casamento.

Atualmente ele está casado e com um filho chamado Boomer Robert, e conta que tem uma vida feliz e com muita paz, “Eu estou curado”, conta o nadador! #Olimpíadas #Famosos #Rio2016