Todas reclamam da diferença salarial entre homens e mulheres em #Hollywood, com razão. A cerimônia da maior premiação da indústria cinematográfica já foi palco para muitos protestos, incluindo o discurso de Patricia Arquette que, ao receber o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante em 2015, defendeu a igualdade de salários e direitos, o que lhe rendeu aplausos entusiasmados das colegas Meryl Streep e Jennifer Lopez.

A lista top 2016

Pelo segundo ano consecutivo, Jennifer Lawrence aparece em primeiro lugar, com ganhos de mais de 46 milhões de dólares em um ano. Em segundo lugar está Melissa McCarthy, com U$ 33 milhões.

Segunda na lista de 2015, Scarlett Johansson desta vez é a terceira entre as atrizes com maior faturamento, com a soma de 25 milhões de dólares.

Publicidade
Publicidade

Julia Roberts, que já foi a número um, aparece em oitavo lugar, atrás de Jennifer Aniston, Fan Bingbing e Charlize Theron.

O faturamento contabilizado pela revista considera também os ganhos com publicidade, não sendo, portanto, tantos milhões provenientes do #Cinema.

Para surpresa geral, não só Holywood é responsável pela riqueza de atrizes. Em décimo lugar aparece Deepika Padukone, de Bolywwod, a indústria indiana de cinema.

A número 1 Jennifer Lawrence reclama

Vencedora do Oscar em 2015, Jennifer Lawrence criticou a diferença de ganhos entre atores e atrizes. Apoiada por Bradley Cooper, com quem contracenou, a estrela de Jogos Vorazes não se conforma em ganhar menos do que os colegas do sexo masculino.

Na lista dos atores mais bem pagos de 2015, todos os homens somavam ganhos acima de U$ 30 milhões, enquanto que entre as mulheres somente as duas primeiras ultrapassavam esta quantia.

Publicidade

Esta realidade se repete em 2016.

Mas não apenas o salário é motivo de reclamações. Mesmo as atrizes mais famosas se ressentem do tipo de papéis a elas reservados no cinema ainda hoje. Enquanto os protagonistas masculinos costumam representar homens que se destacam por habilidades e profissões, para as mulheres ainda persiste o estigma da beleza e da maternidade.

A imprensa também já foi alvo de protestos contra o que foi considerado machista. Aproveitando mais uma vez a cerimônia do Oscar, em 2015 Reese Whiterspoon lançou a campanha #Askhermore (pergunte mais à ela), reclamando das perguntas dos jornalistas sobre seus vestidos e jóias. Cate Blanchett e Julianne Moore se uniram a Reese e declararam que não queriam apenas exibir seu visual no tapete vermelho e, sim, responder a perguntas que costumam ser feitas aos atores sobre suas carreiras e papéis nos filmes.

  #É Manchete!