O apresentador Zeca Camargo continua se metendo em muitas polêmicas, especialmente quando essas estão relacionadas ao cantor #sertanejo Cristiano Araújo, morto em um acidente de carro no estado de Goiás no ano passado. De acordo com informações da jornalista Fabíola Reipert em matéria publicada nesta segunda-feira, 22, o comunicador que apresenta o 'É de Casa' nas manhãs de sábado na emissora carioca, participou de uma enquete na internet comentando que nomes gostaria de ver no encerramento das Olimpíadas do Rio de Janeiro. A festa aconteceu na noite deste domingo, 21, no maior estádio do país, o Maracanã. O jornalista então surpreendeu e citou o nome da cantora sertaneja Marília Mendonça.

Publicidade
Publicidade

Para abafar um pouco a escolha, ele ainda disse o nome de 'Seu Jorge'. 

Não demorou muito para que #Zeca Camargo fosse chamado de falso. o público não consegue esquecer que em 2015, logo após a morte de Cristiano Araújo, ele fez uma crônica exibida na Globo News que criticava a comoção em torno de um ídolo supostamente desconhecido. Zeca falava da necessidade que as pessoas tem de ter heróis. Na falta deles, qualquer um seria alçado à categoria de grande astro. Camargo não era o único que não conhecia o cantor, mas errou ao criticar a emoção alheia. Afinal, cada um sabe muito bem onde aperta o calo e tem seus próprios heróis, não cabe ninguém julgar. 

Citando a cantora sertaneja para a Olimpíada, Zeca poderia se livrar da barra dos músicos desse gênero. Ele é o principal motivo para que duplas se neguem a ir ao 'É de Casa'.

Publicidade

Na época do comentário de Camargo, muitos artistas protestaram nas redes sociais contra a opinião de Camargo. Alguns famosos chegaram a escrever o nome do famoso em um vaso sanitário, insinuando que ele seria um excremento humano. Cogitou-se até a demissão do famoso, mas ele vem se mantendo na Globo, mesmo com tamanho desprezo do público. 

Nas redes sociais, o público o acaso de mentir. Na vida real, ele é processado pela família de Cristiano Araújo, que não gostou do menosprezo dado ao artista após sua morte.