As Paralímpiadas tem uma importância enorme para o Brasil, principalmente por ser uma forma de inclusão social e também por dar chance a brasileiros que, mesmo tendo suas limitações físicas, mostram que são capazes de ir muito além do que se imagina. Entretanto, a cobertura dada às Paralímpiadas é bem menor que aos #Jogos Olímpicos. 

As emissoras de TV disponibilizam bem menos tempo em sua programação, mas a culpa não é só delas, afinal, os brasileiros também precisam assumir sua responsabilidade#Televisão vive de audiência, e se o interesse é menor, o mesmo acontece com a cobertura dada ao evento. A verdade é que para os brasileiros, até os escândalos políticos dão mais audiência que os Jogos Paralímpicos.

Publicidade
Publicidade

Para se ter uma ideia, nos últimos dias 12 e 13 de setembro, quando aconteceu a tão aguardada votação do processo que tratou da cassação de Eduardo Cunha, os Jogos Paralímpicos foi deixado de lado para mostrar qual seria o destino do deputado. As emissoras de TV dedicaram a Eduardo Cunha cerca de 7 horas, enquanto as Paralimpíadas ficou com somente 3 horas da programação em 48 horas.

Se levarmos em conta o tempo que a Rede Globo dedicou aos dois temas, Cunha ficou com a medalha de Ouro. O mesmo vale para a Record, Band, SBT e até a Rede TV, pois as emissoras não se importaram de dedicar quase que todo o telejornal para mostrar a votação sobre a cassação de Cunha, enquanto os atletas brasileiros, mais uma vez, ficaram em segundo plano.

O curioso é que, quando as pessoas são questionadas sobre o que elas preferem ver na TV, se seria a votação da cassação de Eduardo Cunha, ou os atletas brasileiros nas Paralimpíadas, todos garantem que assistem aos Jogos Paralímpicos, mas a audiência registrada na TV mostra o contrário. 

 A TV está atenta a audiência, e se dedicou mais tempo de sua programação a Cunha é porquê o brasileiro prefere ver o ex-deputado sendo cassado do que assistir aos atletas paralímpicos.

Publicidade

Já durante os Jogos Olímpicos, a audiência das emissoras bateu recordes.  #paralimpìadas