No capítulo de sábado (3), Bento afrontou Carlos Eduardo e falou em público, que Grotas só iria para frente quando todos os coronéis sumissem da face da terra. Ele foi preso e o marido de Tereza aproveitou e fez um discurso na praça da cidade.

Martim intercedeu e pediu ao povo que fiscalizassem a prefeitura e, principalmente, as licitações, pois o prefeito, junto com os aliados, estaria roubando as verbas da cidade.

A professora

Beatriz foi até a cadeia visitar Bento que estava detido e ficou indignada com a situação. O secretário de segurança, Queiroz, a colocou para fora da prisão e disse que ali era um lugar de respeito, pois ele viu a professora e Bento se beijando por entre as grades.

Publicidade
Publicidade

Em público, Beatriz falou em alto e bom tom, que Bento não podia ficar preso. O oficial a mandou parar, mas a moça não se intimidou e citou um poema de Castro Alves, "A praça". Queiroz disse para todos que o local era da prefeitura, após ouvi-la recitar.

O novo coronel

Carlos conversou com o prefeito em seu gabinete e o mesmo falou que Martim estava metendo o bedelho onde não havia sido chamado e que todo cuidado era pouco com o filho de Afrânio. Ele alertou o novo coronel sobre o fato do neto de Encarnação apontar para as falcatruas deles e que poderia ser perigoso.

Na igreja

O povo se aglomerou na igreja e Beatriz falou para que eles não se acovardassem. Ela usou palavras fortes e bonitas e as pessoas a aplaudiram.

O tumulto

O novo coronel mandou libertar Bento, pois o povo ficou alvoroçado na porta da delegacia.

Publicidade

O filho de Piedade saiu e a professora o esperou junto com as demais pessoas. Eles se beijaram e todos aplaudiram o casal.

De dentro da prefeitura Carlos os observou e depois falou para o prefeito do amor dos dois. Ele questionou sobre o que seria da professora sem os seus alunos.

A agressão

O político foi atrás da sua mulher, Tereza, na associação e os dois começaram a discutir. O novo coronel a agrediu e Santo chegou no exato momento em que tudo estava acontecendo. Ele bateu em Carlos, mas o mesmo puxou e apontou uma arma na direção de Santo.

A cena foi forte e o deputado virou o revólver e mirou Terê, logo depois de Santo ter dito que não tinha medo de cabra macho, muito menos de um frouxo. Carlos disse que para ele era fácil arrumar um bom advogado.

As coisas ficaram tensas e o marido de Tereza virou a arma para um e depois para o outro e os ameaçou. A filha de Afrânio pediu para que ele fosse embora, Carlos saiu e disse a Santo que o recado estava dado.

O que vai acontecer nos próximos capítulos de #Velho Chico? Acompanhe os artigos e fique sabendo de tudo. #Entretenimento #Novelas