Um dos programas mais queridos da televisão brasileira completa em 2016, inacreditáveis 50 anos de história. Ainda com o nome de ‘Os Adoráveis Trapalhões’, o programa começou a ser exibido na TV Excelsior ainda sem Mussum e Zacarias, que viriam a integrar o quarteto uma década depois. Por si só, a data já mereceria destaque e com certeza algumas homenagens, principalmente na emissora em que o grupo ficou por mais tempo e consequentemente atingiu o ápice de seu sucesso. Porém, o ano já está em seu final e até hoje a #Rede Globo não prestou tal reconhecimento ao quarteto, mas para o ano que vem já está confirmado a volta de "Os Trapalhões" em sua grade. 

O projeto é em parceria com o Canal Viva, seguindo os mesmos moldes em que foi feita a nova "Escolinha do Professor Raimundo" e conta a princípio com a presença de Renato Aragão e Dedé Santana dando novamente vida aos personagens Didi e Dedé.

Publicidade
Publicidade

Mussum e Zacarias seriam interpretados por atores ainda em processo de escolha. Alguns nomes já foram sondados para fazer esses papéis. Para interpretar Mussum, seu filho Mussunzinho e Aílton Graça são os nomes mais cotados, enquanto Rafael Cortez faria o Zacarias. 

Mas a área artística da emissora carioca ainda não tem certeza se poderá usar os nomes de Zacarias e Mussum, mortos em 1990 e 1994 respectivamente. Eles alegam que a negociação dos direitos de imagem do quarteto é complicada e que já tiveram problemas no passado resultando no fim das reprises diárias do programa no ano 2000. Por isso a Globo pode optar por um remake com dois novos personagens ao lado de Didi e Dedé. 

A família de Mussum, porém, nega que teria qualquer problema em liberar sua imagem para o "revival" e que ainda não foram procurados pela emissora.

Publicidade

Sandro Gomes, filho do humorista, disse ainda que seria muito legal ver seu irmão interpretando o pai. 

Mas há também quem ache na emissora que é totalmente sem sentido tentar reencarnar os dois personagens, já que não há Mussum sem Antônio Carlos e nem Zacarias sem o Mauro. Seria o mesmo que reviver os Beatles sem John Lennon e George Harrison.

   #Os Trapalhões #Entretenimento