O conhecido juiz Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato, aceitou uma denúncia que foi feita no Ministério Público Federal, contra o ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores. Além de Lula foram denunciadas mais sete pessoas.

Foram denunciados por lavagem de dinheiro, Luiz Inácio Lula da Silva (ex-presidente), Marisa Letícia (esposa de Lula), Léo Pinheiro (ex-presidente do grupo OAS), Paulo Gordilho (arquiteto), Paulo Okamotto (atual presidente do Instituto Lula), Agenor Franklin Magalhães Medeiros (já foi executivo da OAS), Fábio Hori Yonamine (trabalhou como presidente da OAS empreendimentos), Roberto Moreira Ferreira e Jose Adelmário Pinheiro Filho.

Publicidade
Publicidade

Agenor Franklin e Léo Pinheiro também foram denunciados por corrupção ativa. 

Para o juiz #Sergio Moro, o ex-presidente Lula foi uma das pessoas beneficiadas diretamente no esquema de corrupção e que sabia do esquema para desvio de verbas da Petrobras. Moro lamentou que o nome da esposa de Lula esteja sendo citado na denúncia, apesar de que ainda não é confirmado o envolvimento de Marisa e se ela sabia do esquema de propinas que acontecia na Petrobras.  Agenor Franklin e José Adelmário ficavam responsáveis por acertar as propinas feitas nos contratos da Petrobras. 

Na última quarta-feira, 14 de setembro, o Ministério Público Federal fez a denúncia e Lula foi considerado o comandante máximo no esquema de corrupção que acontecia na Petrobras. O ex-presidente e sua mulher, por meio de advogados, disseram que repudiam a denúncia, chamando o caso de truque de ilusionismo. 

A denúncia conta que a empresa OAS e a estatal Petrobras pagaram 3 milhões de reais em propinas para Lula.

Publicidade

Moro  afirma que a aceitação da denúncia não quer dizer dizer que os réus têm responsabilidade pelos crimes citados. Segundo Deltan Dallagnol, que é o procurador da República, a reforma feita no apartamento em Guarujá foi realizada pela OAS e com dinheiro que pode ter sido desviado da Petrobras. Lula é o provável dono do apartamento, segundo as investigações.  #Política