Alguns médiuns e sensitivos já vinham se manifestando, faz algum tempo, sobre a falta de respeito e de conhecimento com a qual os autores da telenovela "#Velho Chico" vinham tratando um tema tão delicado, cheio de lendas e ocultismo, como é as águas do rio São Francisco.

O tema regressou na na última semana, após a fatalidade que aconteceu com dois atores da trama, onde cominou no afogamento do seu protagonista, Domingos Montagner. #Robério de Ogum, um médium muito conhecido e requisitado no mundo artístico e político, deu seu parecer sobre o tema.

Segundo ele, a existência das "forças ocultas" deveria ser respeitada, pois para ali trabalharem, se faz necessário um pedido de "licença".

Publicidade
Publicidade

Assim, os atores não sofreriam as influências das vibrações negativas que facilmente se instalam.

O médium destacou o ritual indígena, em que o personagem "Santo" é levado pelas águas e resgatado pelo povo da tribo, que trouxe ao ator uma energia densa, negativa e muito devastadora:

 "O espírito dele não suportou tudo aquilo, e trouxe a cena para a vida real" enfatizou Robério em entrevista no programa Super Pop de Luciana Gimenes. "Os autores que mexem com forças ocultas devem contar com a ajuda de quem entende do assunto”, completou ele.

Mas há algo impressionante, que foi revelado ao RJ Inter TV 2ª Edição, por um índio que contracenou com Domingos nas cenas de ritual indígena da novela.

Felis Karai diz que teve um pressentimento, naquele dia; diz ter visto que Domingos teria "vida curta", mas optou por não comentar, por ser um assunto de caráter interno de sua tribo.

Publicidade

Segundo ele, quando foi passado um "cachimbo" em volta do corpo do ator na cena, a fumaça se dispersou rapidamente, o que, segundo a crença e conhecimento de seu povo, indicaria que a sua vida seria muito curta:

 “Quando a fumaça do cachimbo bateu na cabeça dele, mostrou que ele tinha um problema de vida. Que não teria vida longa, teria vida curta”, finalizou o índio Felis Karai.

Os nativos daquela região falam das muitas lendas que originaram nas margens do rio São Francisco, a maior parte indígena. 

Confira na íntegra a entrevista de Robério de Ogum no Super Pop:

#Domingos Montagner