Nesse fim de semana, a cura do câncer de Oscar Schmidt voltou a ser assunto de um programa da Fox Sports, exibido pela TV a cabo. O ex-atleta, conhecido pelo apelido de 'Mão Santa', revelou que Deus teria operado uma milagre em sua vida. De acordo com ele, sua luta contra a doença que mata milhares de pessoas todos os anos parecia ter chegado ao fim. Símbolo de um geração, Oscar sempre foi sinal de prestígio e competência. Desde o mês de maio deste ano, os exames que ele realiza periodicamente dizem que ele foi surpreendente curado. Em uma entrevista dada ainda naquele mês para outro canal de televisão, o SBT, Schmidt confirmou categoricamente que ouviu que estava curado do próprio médico. 

O profissional da saúde ficou espantado ao analisar os resultados obtidos e disse que realmente algo de diferente estava a acontecer com o ex-jogador de basquete, o único brasileiro a estar no hall da fama desse tipo de #Esporte nos Estados Unidos.

Publicidade
Publicidade

Desde que havia confessado estar com câncer, Oscar acabou mobilizando vários brasileiros, que iniciaram uma corrente de orações e torcidas. No anúncio, o ex-atleta expôs a gravidade da situação e disse que estava com um tumor no cérebro. Muitos temiam que o pior pudesse vir a acontecer, mas a fé acabou sendo muito maior. Até que veio a notícia feliz da cura. 

“O médico olhou minha ressonância é disse: você não tem nada! Nada!”, contou ele. A mudança do disgnóstico do ex-atleta aparece mais uma vez depois dos jogos olímpicos do Rio de Janeiro. O evento, que foi inicialmente criticado, acabou se convertendo em um grande sucesso. O Brasil conquistou o seu maior número de medalhas em toda a história e o objetivo é manter o ritmo para os jogos de Tóquio, que acontecem no ano de 2020, no Japão. 

Oscar não é o único ex-atleta que se viu diante de uma enfermidade.

Publicidade

No mês passado, o ex-boxeador Maguila confessou que estava com uma doença neurológica grave. Com o tratamento, hoje ele já consegue fazer ações simples, que não conseguia antes, como comer.