O mundo da música ficou de #Luto na noite desta segunda-feira (19), após a notícia da perda do percussionista da famosa banda #Barão Vermelho. Paulo Humberto Pizziani, o Peninha Percussão, faleceu no Rio de Janeiro, aos 66 anos de idade.

O músico se encontrava internado no Hospital da Lagoa, Zona Sul da cidade, tratando uma hepatite C e uma hérnia no abdômen e veio a óbito nesta tarde, por causa de uma hemorragia no estômago. Quem deu a notícia da morte do cantor foi sua ex-esposa, Ana Tereza Lima Soler. 

Ela disse, em sua postagem, que era com pesar que comunicava o falecimento do Peninha. E pediu que cada amigo orasse por ele, em sua fé específica, e pelos seus filhos, que estavam muito abalados.

Publicidade
Publicidade

Carreira do Peninha

Paulo Pizziani, o Peninha, nasceu em 1950, no Rio de Janeiro, e viveu grande parte de sua vida no Morro de São Carlos e no Bairro de Fátima, e anos depois se mudou para Saquarema, onde entrou em contato com o mundo do samba e da percussão. Ele começou sua carreira tocando com músicos como Gal Costa, Sivuca, Simone e Johnny Alf, e na  banda Barão Vermelho, em 1986, quando foi gravado o primeiro disco sem o saudoso Cazuza, no álbum 'Declare Guerra'.

Após a gravação do disco, ele recebeu o convite para participar dos shows juntamente com a banda e se tornou um membro fixo da mesma. Em 2001, quando a banda deu uma pausa em seus trabalhos e apresentações, o músico carioca passou a fazer shows instrumentais. Na última turnê da banda, em 2012 e 2013, antes deles interromperem novamente as apresentações, Peninha participou de todos os shows da banda pelo Brasil. Peninha fez grandes apresentações ao lado do Barão Vermelho, como no Rock in Rio e no Hollywood Rock.

Publicidade

Neste domingo, o baixista do Barão Vermelho, Rodrigo Santos, informou que o amigo estava no CTI e pediu orações para o mesmo. Ele se manifestou ao saber da morte de Peninha e disse que estavam consternados e que ele era um grande amigo.

O cantor e guitarrista da banda, Roberto Frejat, também se manifestou e, muito emocionado, disse que toda a percussão que se ouve nas gravações do Barão Vermelho, são do Peninha. Frejat também disse que foram 66 anos muito bem vividos, e que, atrás do jeito cascudo, tinha uma pessoa maravilhosa, muito companheiro e um músico de um alto nível, acima do que muitas pessoas podiam imaginar. Peninha era uma pessoa surpreendente. #Famosos