No capítulo de segunda-feira (19), de "Velho Chico", #Encarnação dançou sozinha ao som de uma valsa em sua casa, como se ela estivesse se despedindo da vida.

O padre Benício chegou à casa de Afrânio e sentou à mesa com Carlos e o coronel, mas o sacerdote disse que não estava lá pela comida e que não queria atrapalhar o apetite deles. Carlos aproveitou a oportunidade e jogou na cara do padre que ele estava apoiando a professora para a prefeitura de Grotas, mas Benício desconversou e foi até o quarto da mãe de Afrânio.

O vigário chegou à porta do aposento de Encarnação e começou a conversar com a matriarca. Ela estava sentada na cadeira e o padre falou que estava feliz com ela, pois soube que a mesma tinha ido à casa de Piedade pedir perdão. O pároco pediu à mãe do Saruê que o perdoasse por não ter lhe dado o perdão, mas ela permaneceu inerte.

Publicidade
Publicidade

Ele a tocou, viu que ela estava morta e a abraçou. Benício se desesperou e pediu que Encarnação voltasse à vida, por um minuto para que ele lhe desse o perdão. O padre falou que havia lhe perdoado do fundo do seu coração e clamou para que a amiga retornasse. Mas a avó de Miguel já tinha passado desta para melhor.

A CONVERSA

Luzia escutou o deputado conversando com Queiroz - eles falavam sobre Bento. A mulher de Santo foi conversar com o delegado e contou a ele que o vereador estava escondendo a verdade dele. A autoridade disse que Bento podia ser preso, por ocultar provas. Luzia falou que preferia ver ele preso, a morto.

A MORTE

Iolanda conversou com Encarnação e disse a ela que a casa iria sentir a sua falta. A mulher do Saruê ficou muito emocionada e chorou bastante com o seu falecimento.

Publicidade

Ela alinhavou a mortalha da falecida e entoou uma canção, enquanto costurava.

A mulher do Saruê ligou para Miguel e pediu a ele para dar um pulo na fazenda e falou que a sua bisa havia morrido. O filho de Tereza contou a ela que a sua avó tinha partido desta vida e eles se abraçaram.

A DESPEDIDA

Afrânio entrou no quarto e viu a sua mãe sem vida na cama. Ela estava com um véu branco cobrindo a sua cabeça e vestida com a mortalha. O coronel conversou com Encarnação e lhe falou que ele não foi o filho que ela desejou e que cem anos não foram suficientes para que eles se entendessem. Ele pediu para que a mãe esquecesse todo o passado e que quem sabe um dia, eles se encontrariam.

As pessoas chegaram para velar a morta e começaram a orar por Encarnação. Tereza e seu filho foram dar o último adeus à avó e quando chegaram ao velório viram Carlos perto do caixão. Terê o expulsou do local. Ela ficou muito irritada quando o viu perto da falecida. Miguel falou ao deputado que queria se despedir da sua bisa em paz e o novo coronel saiu da sala.

Publicidade

A IDA

Iolanda falou com Afrânio que o tempo dela naquela casa tinha chegado ao fim e ela iria embora. Ele disse para a cantora que não daria a ela um centavo, mas ela respondeu que não queria nada dele e que levaria somente as lembranças do Afrânio que conheceu um dia e amou.

A CELEBRAÇÃO

O padre celebrou uma missa pela alma de Encarnação. Ele e as pessoas presentes no velório estavam muito emocionados e sentidos.

A EXPULSÃO

O prefeito e sua corja de vereadores foram ao funeral da mãe do coronel. Mas Tereza, quando os viu entrando no local, teve uma reação de raiva e ódio e os expulsou do velório. Ela esbravejou contra os políticos e disse que eles não eram bem vindos à casa que era dela e mandou-os embora. Terê gritou em alto e bom tom que o prefeito iria cair.

Depois da atitude drástica, a mãe de Miguel pediu perdão à avó, que estava no caixão, e prometeu a ela que iria destruir o saruê, o novo coronel. Miguel pediu à Tereza que tivesse calma e falou com ela que eles foram ao velório para se despedirem e dar o último adeus à sua bisavô. #Novelas #Velho Chico