O líder pacifista indiano Mahatma Gandhi disse em determinado momento de sua vida que “a grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados”. Independente das pessoas concordarem ou não com a frase de Gandhi, fato é, que já está cientificamente comprovado, se é que precisava de alguma comprovação para tal, que os #Animais, sentem dor, fome, frio, medo, entre outras sensações físicas inerentes aos seres vivos. Pode ser feita uma analogia positiva do indiano com o religioso italiano, São Francisco de Assis que amava os animais. Em contrapartida, há uma série de tradições culturais em diversos países, as quais se opõem diretamente a proteção e aos bons cuidados com os animais em geral. 

Aqui mesmo no Brasil, por exemplo, há a prática da vaquejada, que segundo os seus organizadores é uma atividade inofensiva que assume ares de recreação e competição, onde geralmente, dois vaqueiros sobre cavalos têm como objetivo derrubar um boi, na posição localizada entre duas riscas de cal, ressaltando-se o detalhe que o bicho é puxado com selvageria pelo rabo.

Publicidade
Publicidade

Vale frisar que o resultado trágico de tudo isso é que muitos bois ficam literalmente sem os seus rabos e sofrem inúmeras fraturas com os tombos grotescos gerados pelos puxões dos “destemidos” vaqueiros. 

Mas assim como há os defensores dos animais, existem também os que não assumem uma posição clara em relação ao tema ou mesmo são coniventes ou se posicionam abertamente a favor de práticas que trazem dor, sofrimento e morte aos seres irracionais. Aqui mesmo no Brasil há um exemplo claro desse antagonismo na pessoa do cantor de sucesso, Wesley Safadão que diz ser totalmente a favor das vaquejadas

No dia 10 de outubro, Safadão foi um dos convidados no aniversário da Rádio FM 93 na cidade Fortaleza, Ceará, onde fez um show particular para quarenta dos seus fãs que estavam presentes na festa e concedeu entrevista à imprensa, dizendo sentir-se contristado quando o STF - Supremo Tribunal Federal decidiu pela ilegalidade das vaquejadas.

Publicidade

O cantor estava se referindo a sentença do dia 6 de outubro deste ano, ocasião em que o STF revogou a lei cearense que apontava as vaquejadas como um esporte de manifestação da cultura popular no Brasil e que isso não era incompatível, no que se refere ao direito legal de proteção do meio ambiente e animais como um todo. "Eu sou a favor da vaquejada. A gente fica triste. Recebi várias mensagens pedindo que eu apoiasse e eu apoio. Como eu também apoio a proteção dos animais”, reiterou Wesley. Mas as não é um paradoxo muito grande dizer que é favor da proteção dos animais e ao mesmo tempo apoiar que bois percam os seus rabos, quebrem as suas pernas, costelas, chifres em tombos para a pura diversão sádica do público? 

Safadão disse ainda que “a vaquejada nos representa", mas se for assim, poderia ser dito que práticas de corrupção, tais como: não dar nota fiscal; buscar subornar o guarda para se evitar a multa; bater o ponto no trabalho para um colega ausente, entre tantas outras más ações, também representam o povo brasileiro? Que cada um tire a sua própria conclusão.

Publicidade

#Música #Crime