Para muitas pessoas que não têm ciência do que se trata, vai aí um breve resumo do caso Lucas Valença, ou "Policial gato", como as mulheres o tem chamado. A prisão do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, no dia 19 de outubro (quarta-feira), bagunçou todo o país, com notícias em todos os sites e jornais de televisão. Mas o que chamou mesmo a atenção, fora todo esse mutirão de notícias, foi um Policial Federal que executou a escolta de Cunha durante sua prisão preventiva. Loiro, bem aparentável, de barba e usando coque, Lucas Valença chamou a atenção na internet dentre outros motivos por sua beleza, e rapidamente foi apelidado de "Lenhador da Federal" e também de "Hipster da Federal".

Publicidade
Publicidade

A questão do "lenhador" é facilmente compreensível, por questão da barba e cabelos grandes, braços fortes, etc.

E por qual motivo o apelido "hipster"? Resumidamente, hipster são aquelas pessoas que têm conhecimento das tendências antes das outras, os tais "moderninhos" ou "atualizados". De acordo com as notícias que saíram sobre o jovem, dentre elas a que melhor explica o apelido, de fonte desconhecida: "Lucas Valença, embora não se declare um hipster, provavelmente foi rotulado assim pela internet, por representar uma figura pouco vista em um órgão como a Polícia Federal". Agora que você entendeu um pouco mais sobre o caso do "Lenhador da Federal", chegamos no ponto X da notícia. O Policial se deu muito mal ao dar "trela" para a #fama.

Ele foi afastado do seu cargo, após aparecer no programa "Encontro", da apresentadora Fátima Bernardes e também posar para um ensaio fotográfico de um site de fofocas.

Publicidade

Mesmo depois de ter dado inúmeras explicações se esquivando de qualquer atitude errada ou desleal e justificando que só deu entrevistas falando de sua beleza e respondendo perguntas aleatórias que em nada lhe comprometiam ou comprometiam a seu serviço, Lucas Valença foi forçado a tirar "férias" e foi afastado de seu cargo. Essa informação foi dada a um jornal carioca, por Luís Boudens, presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais. #Fátima #Casos de polícia