Wagner Moura recusou o convite para interpretar o juiz federal Sérgio Moro na série da #Netflix que será baseada na Operação Lava Jato. O ator é um crítico ferrenho da atuação do magistrado paranaense na mega-operação, que é considerada a maior investigação de corrupção da história do Brasil.

A série será dirigida por um velho conhecido de Wagner, José Padilha, com quem o ator já trabalhou nos filmes Tropa de EliteTropa de Elite 2: O Inimigo Agora é Outro, e na série Narcos, também da Netflix. A produção ainda não tem um título definido, mas seu lançamento está marcado para 2017. Elena Soares, que escreveu Filhos do Carnaval, Casa de Areia e Xingu, será a roteirista.

Publicidade
Publicidade

Um filme sobre a Operação Lava Jato também está sendo produzido. Polícia Federal - A Lei é para Todos havia escalado Rodrigo Lombardi para interpretar Sérgio Moro, mas o ator teve de desistir do longa devido à sua agenda. Lombardi será o protagonista da novela À Flor da Pele, de Gloria Perez, que será exibida na faixa das 9 horas em 2017. Além disso, ele substituirá Domingos Montagner na série Carcereiros.

A Operação Lava Jato é conduzida pela Polícia Federal do Brasil e sua fase ostensiva se encontra em andamento desde 17 de março de 2014. Com o objetivo de apurar um esquema de corrupção que se suspeita haver movimentado dezenas de bilhões de reais, a investigação já cumpriu mais de cem mandados de condução coercitiva, prisão preventiva, prisão temporária e busca e apreensão. Estão envolvidos grandes partidos do Brasil, como PP, PT e PMDB, bem como empresários.

Publicidade

O juiz Sérgio Moro atua na 13.ª Vara Criminal Federal de Curitiba e, desde 2014, comanda o julgamento em primeira instância dos crimes apurados na Operação Lava Jato, ganhando inclusive notoriedade internacional por conduzir os atos processuais em ritmo acelerado e por impor penas severas aos condenados. Seus críticos reprovam suas decisões controversas, como a de divulgar os áudios de grampos telefônicos em que a Polícia Federal interceptou conversas entre Dilma Rousseff e ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. #SérgioMoro #Seriados