O atual presidente da República, #Michel Temer (PMDB) é o entrevistado do programa “#Roda Viva”, nesta segunda-feira (14). A entrevista será exibida pela TV Cultura e, excepcionalmente, pela TV Brasil, para todo o país, a partir das 22h (horário de Brasília).

A entrevista não será ao vivo. Ela foi gravada na última sexta-feira (11), no Palácio da Alvorada, em Brasília. Michel Temer ficará frente a frente com seis jornalistas.

Entrevistadores

O “Roda Viva” será apresentado por Augusto Nunes. Os entrevistadores são jornalistas dos grandes grupos de comunicação do país, como a Folha, Estadão e O Globo.

Os cinco jornalistas escolhidos foram Ricardo Noblat, colunista do jornal O Globo e do Blog do Noblat; Eliane Cantanhêde, colunista do jornal O Estado de S.

Publicidade
Publicidade

Paulo e da Globonews; Sérgio Dávila, editor executivo do jornal Folha de S. Paulo; João Caminoto, diretor de jornalismo do Grupo Estado; e William Corrêa, coordenador geral de jornalismo da #TV CULTURA e âncora do “Jornal da Cultura”.

Sabatina

A sabatina com o presidente Michel Temer (PMDB) vai ao ar às 22h (horário de Brasília) e terá aproximadamente uma hora e 30 minutos de duração. Temer, que assumiu o governo depois do impeachment sofrido pela ex-presidente Dilma Roussef (PT), tem muitas perguntas a serem respondidas.

Não foi vazada nenhum trecho da entrevista, mas imagina-se que os jornalistas presentes transitaram por certos quase que obrigatórios neste momento. Um deles é a PEC 41, que reorganiza os gastos da União e recebeu críticas por, segundo alguns, congelar investimentos das áreas de saúde e educação por 20 anos.

Publicidade

Outro tema que não deve ter passado batido é a relação de Temer com Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara, cassado recentemente e preso em Curitiba desde outubro. Cunha chamou o presidente para depor como testemunha de defesa.

Além disso, Michel Temer deve ser questionado sobre escândalos envolvendo o seu nome e o nome de homens fortes de seu governo. Algumas perguntas, mais curiosas, também devem ser feitas. Por exemplo, como era a relação de Temer com a ex-presidente Dilma Roussef.