Uma das maiores estrelas da televisão mexicana, Lucero, está sendo castigada pela imprensa latina, principalmente a do México, por ter aceitado o convite de Silvio Santos para trabalhar na novela "Carinha de Anjo".

A nova empreitada da carreira de Lucero está sendo vista pela imprensa como um retrocesso em sua vida profissional. O site "Mundo Hispânico" não poupou a artista e nem a emissora brasileira das críticas, o site informa que a mexicana teria aceito um trabalho de "baixo nível", além disto, o #SBT foi taxado como uma "emissora pequena". A matéria ainda questiona se a estrela da moça se apagou.

O papel de Lucero também foi diminuído, foi intitulado como "irrelevante".

Publicidade
Publicidade

A atriz e cantora ainda foi diminuída como atriz, foi dito, inclusive, que este foi o único papel que ela conseguiu no folhetim. Ela viverá Tereza, mãe de Dulce Maria, personagem que morre em um acidente ainda nos primeiros capítulos da trama.

Pelo visto, os mexicanos não encaram nossas #Novelas da forma que o nosso público encara.

Relação de Lucero com o Brasil

A atriz Lucero é conhecida por ter trabalhado na novela "Chispita", uma das primeiras do México a serem transmitidas aqui no Brasil.

A mexicana, que tem 47 anos, já trabalhou em novelas como "A Dona" e "Por Ela Sou Eva", transmitidas pelo SBT nos últimos anos.

Em 1997, a profissional se apresentou no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. O evento era o encontro mundial das famílias com Papa João Paulo II.

A vontade de Lucero de atuar em uma novela brasileira foi deixada bem clara em 2015, em sua passagem no "Teleton", maratona beneficente do SBT.

Publicidade

Ela afirmou em entrevista que adoraria trabalhar em uma novela feita em nosso país, que restava apenas conciliar com a agenda.

A moça ainda disse que sente voltar ao Brasil com mais frequências, ela esteve presente no "Teleton" 2016.

Carinha de Anjo

A remake de "Carinha de Anjo" tem estreia marcada para o dia 21 de novembro, substituindo "Cúmplices de Um Resgate". A novela tem texto de Leonor Correa e supervisão de Íris Abravanel.