#Fátima Bernardes costuma fazer muitas experiência sociológicas e comportamentais em seu programa, o Encontro, exibido nas manhãs da Rede Globo de Televisão. Algumas delas provocam polêmica e essa é a intenção, já que toda atração televisiva necessita de audiência. Na sexta-feira passada, no entanto, uma pergunta mexeu mais que o normal com muita gente. Fátima questionou quem deveria ser salvo primeiro em um hospital, um criminoso (um traficante) ou um policial, que estava a defender a lei. Ela enfatizava o drama de um filme que divulgava e mostrava três pessoas chegando ao mesmo tempo em uma unidade sem recursos, uma delas uma criança. No longa, o traficante é o mais ferido de todos, mas todas as três pessoas estavam sob algum perigo.

Os convidados de Fátima escolheram que o primeiro a ser salvo era o traficante, já que era ele a correr o maior perigo.

Publicidade
Publicidade

A apresentadora preferiu não se posicionar sobre o questionamento, talvez prevendo que isso gerasse repercussão. Foi exatamente isso o que ocorreu. Bernardes virou uma espécie de inimiga número um para muitos policiais e levou clima de tensão à Rede Globo de Televisão. A hashtag 'Eu Escolho Salvar o policial' chegou a ficar no topo do Twitter. Em páginas que defendem os militares, fotos e vídeos de militares se posicionando contra a comunicadora ganharam destaque. Algumas delas, mais irritadas, mandam Fátima adotar um bandido.

Em discursos feitos em palanque e até em um vídeo gravado na internet, o deputado federal Jair Bolsonaro, do PSC do Rio de Janeiro, disse que era esse tipo de comportamento que a mídia gerava, ao fazer a inversão de valores. Ele ainda disse que Fátima e todas as pessoas que defendiam os direitos humanos dos bandidos, mas que se esqueciam dos direitos dos agentes da lei, eram marginais, tanto quanto os criminosos.

Publicidade

A situação perdeu o controle depois que um helicóptero da PM do Rio de Janeiro caiu. No momento da queda, a aeronave fazia uma operação contra bandidos. Apesar de não encontrar vestígios de tiro, a perícia ainda não disse o que derrubou o veículo aéreo.