Desde que adotaram a pequena Titi, em julho, o casal Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank faz questão de sempre publicar fotos dela nas redes sociais. A popularidade da garotinha é tanta, que ela até ganhou um perfil próprio no Instagram, com cerca de 3 mil seguidores, e sempre é elogiada pelos seguidores pelo seu estilo.

Entretanto, a exposição não colheu só bons frutos. Recentemente, o perfil de Titi começou a ser alvo de ataques racistas e ofensas. Segundo o jornal O Globo, Gagliasso e a esposa prestaram queixa na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática e pretendem processar os responsáveis assim que forem identificados.

Publicidade
Publicidade

"Vcs tinham que adotar uma menina de olhos azuis isso sim iria combinar e não aquela pretinha parece uma macaquinha #lugardepretoénaafrica!!!”, dizia o comentário que teria motivado a denúncia.

O mesmo perfil teria publicado mensagens semelhantes nas redes sociais da cantora Gaby Amarantos.

Outras vítimas

A filha de Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank não foi a única a sofrer com o #Preconceito nas redes sociais. Alguns dos casos recentes incluem a jornalista Maju Coutinho, a atriz Taís Araújo e a cantora Preta Gil.

No caso das globais Taís e Maju, a maioria dos perfis de onde partiram as mensagens racistas eram falsos, o que dificultou o trabalho da polícia.

Adoção

Foi depois de uma viagem ao Malauí, país da África Oriental, para filmar uma reportagem para um quadro do "Domingão do Faustão" que o casal de atores resolveu adotar Titi, de 2 anos.

Publicidade

O ato dividiu opiniões. Enquanto algumas pessoas os acusavam de oportunismo, outras elogiaram a atitude de adotar uma criança carente.

Na época, Gagliasso rebateu as críticas durante um comercial sobre o Dia dos Pais para uma operadora de telefonia. No monólogo, o ator cita os comentários que recebeu: "Pai tem que ser sangue do mesmo sangue. Adotou porque está na moda. Com tanta criança precisando no Brasil, por que adotou uma da África?" E finaliza: "Rótulos não definem o que é ser pai. O que define um pai é o amor". #Rede Globo #Racismo