O Hospital San Juan de Díos, onde estão, nesse momento, três sobreviventes da tragédia que matou setenta e cinco pessoas, através do seu Diretor, revelou detalhadamente como os jogadores Neto, Alan Rushel e o jornalista Rafael Henzel estão lutando pela vida, apesar dos seus diagnósticos arrepiantes. Tal como informa o site da “UOL”, Guilhermo Molin divulgou que, no caso do zagueiro Neto, ele estava em uma situação muito severa com um trauma encefálico e fratura exposta de membros Já o lateral, Alan, está sendo operado para conseguir resolver as muitas fraturas que sofreu, incluindo uma fratura na vértebra dorsal. O jornalista Henzel está tendo muitas dificuldades respiratórias, alegadamente devido a um problema de pulmão causado pelas suas vértebras.

Publicidade
Publicidade

Atravessando um das melhores temporadas da história do clube, o Chapecoense passou, em poucas horas, do céu para o inferno. Durante uma viagem de oito horas para Medellín, Colômbia, onde iriam disputar uma final importantíssima para o futebol brasileiro, acabou em uma enorme tragédia nessa madrugada de dia 29 de novembro, fazendo com que dezenove dos vinte e dois futebolistas que estavam viajando, perdessem a vida no #Acidente.

Segundo informações do site do “UOL”, citando o Diretor do Hospital San Juan de Díos, três dos seis sobreviventes estão sendo tratados nesse estabelecimento, sendo que os profissionais de saúde estão fazendo de tudo para conseguir aumentar as probabilidades de sobrevivência dos três feridos do acidente. Como seria de se esperar, avaliando pelo número de mortes, Neto, Alan Rushel e o experiente Rafael Henzel estão em estado muito grave, sendo, no entanto, possível que eles possam sobreviver, apesar das prováveis lesões permanentes que eles terão para o resto da vida.

Publicidade

Entre lesões nos membros, problemas respiratórios e fraturas nas costas, os três feridos já teriam sido operados poucas horas depois de terem sido recolhidos do local do acidente, visto que, por exemplo, Alan Rushel chegou cerca de quatro horas mais cedo do que o seu colega Neto, que apenas de manhã chegou ao Hospital onde se encontra agora, lutando pela vida. Nas redes sociais, centenas de milhares de brasileiros rezam pela recuperação total dos feridos, apesar dos diagnósticos arrepiantes. #Chapecoense