Em apresentação feita nesta quinta-feira (17), na cidade californiana de San Jose, o rapper #kanye west manifestou-se a favor de Donald Trump, próximo presidente eleito dos EUA. Como resposta, o músico foi vaiado pelos fãs que compareceram ao show.

Em certo momento, o músico, que manteve-se neutro durante toda a campanha eleitoral, interrompeu sua apresentação e declarou que não pôde votar nas eleições que aconteceram no último dia 8 de novembro. Kanye complementou, dizendo que “se tivesse votado, seria em Trump”.

Na contramão de outros astros da música pop como Beyonce e Katy Perry que manifestaram-se a favor de Hillary Clinton, o cantor anunciou — entre vaias — seu apoio ao candidato do Partido Republicano dizendo: “Odeio que, por ser uma celebridade, todos pediram para que eu não dissesse o quanto gostei dos debates”.

Publicidade
Publicidade

“Eu amei sua [do Trump] abordagem”, comentou. Vídeos da declaração espalharam-se no YouTube e no Twitter, filmados pelos fãs que haviam comparecido ao show.

A posição do rapper, que durante o VMA do ano passado declarou seu desejo de concorrer à presidência dos EUA em 2020, não foi bem recebida pelos fãs que, segundo algumas testemunhas na audiência, atiraram objetos no palco acompanhados por vaias e manifestações de discordância.

Kanye West ainda gritou “construa aquele muro!”, durante o show, uma possível referência à principal proposta de #Donald Trump durante sua campanha: levantar um muro na fronteira entre Estados Unidos e México, cobrando seus gastos do povo mexicano, além de endurecer as leis de imigração dos EUA e aumentar a fiscalização interna em busca de ilegais, sob o pretexto de que a maior parte dos criminosos em atuação nos EUA entram no país através da fronteira com o país latino.

Publicidade

Sobre sua candidatura, West disse, durante o show, que talvez não seja mais no ano em que havia prometido, mas “Não vou dizer 2020 para não desrespeitar nosso presidente… Estou apenas dizendo que tenho algumas ideias sobre a maneira pela qual possamos conectar nossas ideias”.

#Eleições EUA 2016