Muita gente não lembra, mas Paulo Henrique Amorim, um dos nomes mais polêmicos do jornalismo brasileiro e que hoje vive a criticar a Rede Globo, já trabalhou na emissora carioca. Seus serviços ao canal da família Marinho o colocaram até mesmo como o principal correspondente internacional da rede, exercendo serviços na cidade de Nova York, nos Estados Unidos. Naquela época, Paulo fazia matéria para programas como o 'Jornal Nacional' e o 'Fantástico'. Hoje, Paulo Henrique Amorim responde a inúmeros processos e exerce serviços para a TV Record, onde apresenta o 'Domingo Espetacular', onde imprimiu o bordão "olá, tudo bem?'.

Em entrevista à revista Carta Capital, tipicamente de esquerda, o jornalista voltou a criticar a Rede Globo, mostrando que tem uma grande desavença com a empresa que um dia o empregou.

Publicidade
Publicidade

Segundo o apresentador, o futuro da emissora não será muito longo e isso já está sendo mostrado na prática. O comandante do 'Domingo Espetacular' diz detalhes de como a TV Globo entrará em falência. De acordo com ele, quem prejudicará a emissora é ela mesma, já que não conseguirá pagar os seus altos custos, mesmo tendo mais audiência que as concorrentes. As duas maiores adversárias do canal aqui no Brasil, por exemplo, produzem de uma a duas novelas por vez. Já o canal carioca chega a colocar cinco produções dramatúrgicas deste tipo no ar, sem falar em minisséries e séries.

“Uma televisão comercial, aberta, não tem futuro, com os custos da Globo, provavelmente os maiores do mundo, relativamente", diz o jornalista da Record, que não para por aí. "A Globo engordou com um monopólio que não existe mais. E inchou”, terminou o repórter, que prosseguiu dizendo que não será a Record a ultrapassá-la em receita, como muitos poderiam acreditar que ele defendesse, mas sim o Google.

Publicidade

Ele explica que o canal da família Marinho representaria um anacronismo e toda a publicidade deve ser focada na internet a curto prazo. Ou seja, em poucos anos os canais televisivos devem definhar. Será? #Famosos